Início Notícias Visivelmente emocionado, prefeito Ademar Delgado quase chora ao falar de Caetano

Visivelmente emocionado, prefeito Ademar Delgado quase chora ao falar de Caetano

Fonte: Camaçari Notícias / Fotos: Geovania Cruz

Na manhã desta segunda-feira (12) o prefeito Ademar Delgado concedeu entrevista coletiva para toda imprensa de Camaçari, com o objetivo de anunciar os planos do seu governo para os próximos dois anos de mandato – 2015/2016.

Na ocasião, foi citado o episódio sobre o rompimento da parceria do prefeito com o ex prefeito do município, Luiz Caetano, atual deputado federal. Com voz embargada e, visivelmente emocionado, Ademar afirmou que não gostaria de falar sobre o assunto, e quase chorando completou: “Pela minha relação histórica… Eu sou amigo de Caetano desde janeiro de 1976. Todos os onze anos de governo, Caetano me convidou para ser secretário. Participei de todas as gestões”.

O prefeito citou sua participação nos onze anos de governo de Caetano, onde atuou como secretário, assumindo pastas distintas. Destacou ter sido convidado para coordenar a campanha de reeleição do companheiro de partido e, como disse: “[…] Também fui candidato para ser candidato à prefeitura de Camaçari”.

“Eu devo muito do meu aprendizado a Caetano”, disse Ademar Delgado enquanto pedia que, aqueles que são seus amigos, evitassem falar mal do deputado federal e acrescentou: “Aqueles que querem me ajudar, falem de mim, me ajudem, mas, por favor, não entrem com crítica contra Caetano porque isso não me agrada e vai me deixar extremamente ferido. A relação que temos é histórica, não foi criada em um dia. Fiz tudo o que podia para que nada disso acontecesse”.

Finalizando o assunto, Ademar fez um apelo aos representantes dos veículos que se faziam presentes: “Se a imprensa pudesse tratar hoje apenas das questões ligadas à administração eu ficaria muito feliz, até porque preciso segurar minhas emoções”.

Quando perguntado sobre as expectativas sobre a possibilidade de retomar a aliança com o ex prefeito Caetano, Ademar Delgado não hesitou em responder e declarou: “De minha parte sim. É um companheiro, como eu falei aqui, histórico. Mas, a decisão foi dele, eu tenho que respeitar, mas eu quero deixar todas as portas abertas”, finalizou.