Início Notícias Suspensa resolução que obriga carros a circularem com extintores ABC

Suspensa resolução que obriga carros a circularem com extintores ABC

Brasil é um dos poucos países a exigir extintores automobilísticos.
Alguns especialistas acreditam que medida não garante segurança.

O Ministério das Cidades determinou, nesta segunda-feira (5), a suspensão por 90 dias da resolução que obriga os veículos a circularem com extintores de incêndio com carga de pó ABC. A intenção é dar mais prazo para os motoristas se adaptarem. Decisão ainda vai ser publicada no Diário Oficial da União.

O Brasil é um dos poucos países a exigir os extintores automobilísticos. E alguns especialistas acreditam que a medida não garante segurança em casos de incêndio.

Todo mundo sabe que tem que ter extintor dentro do carro. Mas nem todo motorista sabe onde fica.

Sobram os condutores atentos, observadores da lei e dos prazos no cilindro. Mas se o carro pegar fogo, eles v√£o saber o que fazer?

O extintor normalmente fica esquecido debaixo do banco. E, no momento de necessidade, é difícil encontrar um motorista que saiba usá-lo. Mesmo assim, o Brasil é um dos poucos países que exigem a presença dele dentro do carro. Essa lei tem mais de 40 anos. E até hoje se discute se essa obrigatoriedade faz sentido ou não.

O extintor √© obrigat√≥rio tamb√©m na B√©lgica, na Bulg√°ria, na Pol√īnia e na Rom√™nia, por exemplo. Mas grandes fabricantes de autom√≥veis como Alemanha, China, Jap√£o, Su√©cia e Estados Unidos n√£o fazem essa exig√™ncia. Na Inglaterra, os extintores precisam estar apenas em √īnibus e t√°xis.

“V√°rios pa√≠ses deixaram de usar o extintor a partir do instante em que se saiu do carburador e caminhou para a inje√ß√£o eletr√īnica. A inje√ß√£o eletr√īnica, aliada aos dispositivos no tanque, que impedem que ele exploda, que ele vaze quando passa por capotamento”, explica o engenheiro da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade Francisco Satkunas.

O representante da Sociedade Brasileira de Engenheiros da Mobilidade critica obrigatoriedade do extintor, sem a exigência legal de que os motoristas saibam a usá-lo. Nenhum treinamento é exigido. Os bombeiros concordam.

“O mero fato de possuir extintor n√£o significa que o indiv√≠duo vai saber utiliz√°-lo”, afirma o tenente do Corpo de Bombeiros Tiago Martinez.

O Conselho Nacional de Tr√Ęnsito afirma que o extintor √© eficaz e necess√°rio para a seguran√ßa. A Associa√ß√£o Brasileira de Medicina de Tr√°fego, tamb√©m defende a exig√™ncia, porque, segundo a Abrabet, os carros que rodam no Brasil s√£o mais antigos e n√£o s√£o t√£o seguros.

‚ÄúA seguran√ßa √© prec√°ria. Se a seguran√ßa √© prec√°ria, n√≥s temos que intensificar equipamentos, colocar equipamentos nesse ve√≠culo para aumentar a seguran√ßa e nos proteger‚ÄĚ, avalia Dirceu Rodrigues Alves Junior, diretor da Associa√ß√£o Brasileira de Medicina do Tr√°fego.

O extintor no √© lei, ent√£o a motorista Thalita Vieira cumpre, mas n√£o se sente mais segura por estar ali. ‚ÄúA orienta√ß√£o √© muito mais coerente do que a simples penalidade, multa ou a infra√ß√£o por si s√≥‚ÄĚ, ela destaca.

 

 

Fonte: G1