Início Notícias Sisu: candidato pode escolher dois cursos e tem que ficar atento ao...

Sisu: candidato pode escolher dois cursos e tem que ficar atento ao corte

Para concorrer a uma vaga através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é preciso ter realizado a edição de 2014 do Enem. Não é possível utilizar aproveitamento de edições anteriores do exame. O peso da nota da Redação não é só importante, como eliminatório: quem tirar nota zero na redação não pode disputar vagas através do Sisu.

Cada candidato pode escolher até duas opções de curso no ato da inscrição e fazer alterações de curso e instituição até o último dia de fechamento do sistema (às 23h59 do dia 22 de janeiro – considerando o horário de Brasília, ou seja, 22h59 da Bahia). As notas de corte para cada curso mudam à medida que os candidatos vão solicitando vagas.

Ontem, o MEC ainda não havia divulgado a periodicidade da atualização dessa nota de corte, mas deve seguir a lógica do ano passado: com balanços parciais a cada final de tarde. No fim, o sistema considerará a última inscrição feita pelo estudante. O próprio MEC recomenda que os estudantes acompanhem as mudanças da nota no curso escolhido.

Já o Prouni, que oferece bolsas de ensino em instituições privadas, tem outros critérios de seleção. Quem quiser uma bolsa precisa ter garantido no Enem pelo menos 450 pontos na média geral e também não pode ter zerado a Redação. Para receber as bolsas do Prouni também entram em avaliação questões de renda, já que é o Ministério da Educação (MEC) quem paga toda ou parte da mensalidade do curso.

No caso de bolsa integral, a renda familiar por pessoa precisa ser de até 1,5 salário mínimo. Para concorrer a uma bolsa parcial, a renda familiar deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa. As reservas de vagas para garantir o cumprimento da lei de cotas este ano é de, no mínimo, 37,5%. No entanto, na Bahia, as instituições já seguem a reserva de 50% das vagas. Segundo o MEC, do total de 99 instituições federais participantes do sistema, 68 já reservam 50% ou mais para egressos de escolas públicas.

 

Fonte: Correio da Bahia