Início Notícias Seleção para camarote no Carnaval pede que candidatas mandem fotos nuas

Seleção para camarote no Carnaval pede que candidatas mandem fotos nuas

Um anúncio para seleção de garotas para trabalhar em um camarote de uma cervejaria no Carnaval de Salvador deste ano repercutiu negativamente nas redes sociais desde o início da semana. A oferta é de até R$ 8 mil por dia, mais ajuda de custo, e o recrutamento pede que as interessadas enviem fotos nuas, destacando que beleza de corpo e rosto é importante para as vagas. A Ambev e a produtora do camarote, a 2GB Entretenimento, negam relação com o anúncio e dizem que se trata de um golpe.

A empresa Mega Polo Models Internacional, que tem sede em São Paulo, exige “beleza essencial” para contratar mulheres para o camarote. A postagem pede que se enviem no mínimo 15 fotos, entre elas com “traje de legs, short com top, macacão, de biquíni ou lingerie (fotos nuas p/ Ficha Rosa”.

A Ficha Rosa é a que paga R$ 8 mil de cachê. A “Ficha Branca” oferece cachê de R$ 1 mil. A Rosa envolveria “acesso ÁREA VIP, SHOW, FESTAS PRIVADAS e tudo mais”. A página da Mega Polo ainda tem anúncios para vários eventos esportivos e de festas. A empresa não respondeu pelo telefone que consta no site e responsáveis não foram localizados.

Seleção para camarote no Carnaval pede que candidatas mandem fotos nuas 1

Anúncio falso (Foto: Reprodução/Facebook)

A Ambev diz que o jurídico da empresa já está trabalhando em relação ao acontecimento e nega qualquer relação com o recrutamento. “A Ambev repudia veementemente qualquer prática que não esteja em total conformidade com a lei. A empresa tomará as medidas legais cabíveis para evitar que suas marcas sejam usadas de forma indevida”.

A 2GB também divulgou nota alertando “que não contratou ou autorizou nenhuma empresa para realizar serviço de seleção” em nome do camarote. “O evento “SELEÇÃO DE MENINAS PARA CARNAVAL CAMAROTE SKOL 2015″, criado no Facebook e organizado pela Mega Polo Models, não tem aprovação, conhecimento e nem amparo da 2GB, não sendo, portanto, de sua responsabilidade e nem autorizado por quem de direito”.

Fonte: Correio da Bahia