Início Bahia Cresce número de casos da varíola dos macacos na Bahia

Cresce número de casos da varíola dos macacos na Bahia

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Após confirmar mais dois casos da varíola dos macacos na segunda-feira (25), a Bahia passa a ter cinco casos confirmados da doença. Segundo a Secretaria Estadual do Estado, todos os pacientes moram na cidade de Salvador e estão em isolamento.

Ainda de acordo com a Sesab, os dois novos casos foram identificados através de exame de laboratório e outro por critério clínico-epidemiológico.

Cerca de 31 casos suspeitos estão sendo investigados nos municípios de Barra (01), Ibicaraí (02), Ilhéus (02), Laje (01), Mutuípe (03), Porto Seguro (01), Salvador (14), Santo Antônio de Jesus (03), São Miguel das Matas (01) e Vitória da Conquista (03). Em todos os casos, as medidas sanitárias de monitoramento dos contactantes próximos, bem como isolamento foram adotadas. 

Monkeypox é uma zoonose viral, do gênero Orthopoxvirus, da família Poxviridae, que se assemelha à varíola humana, erradicada em 1980. Pode ser transmitida quando alguém tem contato próximo com as lesões de pele, as secreções respiratórias ou os objetos usados por uma pessoa que está infectada.

A doença gera febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, adenomegalia, calafrios e exaustão. A infecção é autolimitada com sintomas que duram de 2 a 4 semanas, podendo ser dividida em dois períodos: invasão, que dura entre 0 e 5 dias, com febre, cefaleia, mialgia, dor das costas e astenia intensa. A erupção cutânea começa entre 1 e 3 dias após o aparecimento da febre e tem características clínicas semelhantes com varicela ou sífilis, com diferença na evolução uniforme das lesões.