Início Polícia Vídeo: Reféns são utilizados como escudo humano em ataques a agências bancárias

Vídeo: Reféns são utilizados como escudo humano em ataques a agências bancárias

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Mais de 10 veículos e 50 homens fortemente armados provocaram ataques a diversas agências bancárias em Araçatuba, interior de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira (30). Os moradores da cidade viveram momentos de terror, já que alguns foram sequestrados para serem ‘escudos humanos’ na ação criminosa.

De acordo com informações da Polícia Militar (PM), três pessoas morreram, entre eles, um suspeito, três ficaram feridas e três foram presas.

Segundo a CNN, os responsáveis pelo ataque utilizaram explosivos com infravermelho, que foram espalhados em pontos estratégicos da região. Quatro veículos, incluindo um ônibus, foram incendiados: um do lado do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP), dois na rodovia e um no Centro da cidade, próximo às agências bancárias.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

As explosões também causaram queda de energia elétrica em parte da cidade. Ainda segundo os Bombeiros, houve tentativa de assalto às agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica, localizadas muito próximas uma da outra.

As buscas pelos demais criminosos continuam nesta manhã e contam com apoio do helicóptero Águia.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que “estão em andamento buscas para localizar os criminosos”. A publicação também informa que “uma equipe do GATE (Grupo de Ações Tática Especiais) também está em deslocamento para o município” e reforça que “mais detalhes serão fornecidos ao término do registro da ocorrência”.