Início Polícia “Tribunal do crime”: jovem executado em Salvador furtou mercado e foi entregue...

“Tribunal do crime”: jovem executado em Salvador furtou mercado e foi entregue a traficantes pelo dono do estabelecimento

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

A Polícia Civil investiga a execução de Matheus dos Santos Rodrigues, de 22 anos, ocorrida no bairro de São Caetano, na tarde de segunda-feira (16/8). A principal suspeita é que ele tenha sido vítima de um “tribunal do crime”.

As primeiras informações já levantadas pelo Departamento de Homicídios e Protelçao à Pessoa (DHPP) apontam que Matheus é suspeito de cometer furto dentro de um mercado do bairro Fazenda Grande do Retiro.

Depois de ter sido descoberto, ele foi entregue a traficantes pelo próprio dono do estabelecimento.

Equipes da 4º Delegacia Territorial (DT/São Caetano) apoiam as investigações. Familiares da vítima, testemunhas e funcionários do estabelecimento foram ouvidos na sede do DHPP.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

CASO SEMELHANTE
O caso é parecido ao que ocorreu com um dos supermercados da rede Atakarejo, também em Salvador. O crime ocorreu em abril deste ano. Na ocasião, um tio e um sobrinho, identificados como Bruno Barros da Silva, 29, e Yan Barros da Silva, 19, foram flagrados furtando pacotes de carne no estabelecimento, situado no bairro de Amaralina.

No mesmo dia, eles foram encontrados mortos no porta-malas de um carro, no bairro de Brotas, com tiros e sinais de tortura. Os dois foram entregues a traficantes do bairro pelos seguranças do supermercado.

O caso teve grande repercussão no país. Pela morte do tio e sobrinho, 13 pessoas foram denunciadas ao Ministério Público da Bahia e podem ir a júri popular. Oito pessoas, entre seguranças e traficantes, acabaram presas.

Com informações do Aratu On