Início Destaque Três criminosos são presos por fraude e desvio de R$ 33 mil...

Três criminosos são presos por fraude e desvio de R$ 33 mil do auxílio emergencial em Simões Filho

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Três criminosos, menores de 21 anos, foram presos durante operação Primeira Parcela da Polícia Federal (PF), em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), que combate fraudes no auxílio emergencial. De acordo com o superintendente da PF-BA, Daniel Justo Madruga, os apontados criaram contas com dados de pelo menos 59 vítimas no aplicativo Caixa Tem, para receber o benefício, e desviaram cerca de R$ 33 mil em um período de seis dias. Com informações do BNews

Ainda conforme a PF-BA, os estudantes são trabalhadores autônomos e que já possuíam o auxílio emergencial. “Não contente com isso, fraudam outras contas”, disse a delegada Suzana Jacobina durante a coletiva de imprensa.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Além disso, o líder da organização criminosa teria adquirido seis veículos, alguns importados, na garagem de sua residência. Contudo, a delegada informou que as famílias dos suspeitos alegaram que não tinham conhecimento do possível crime. Todos os envolvidos moravam na região do Cia, em Simões Filho, e eram amigos.

“A família nega, porém, o IP utilizado para criação das contas está no nome da genitora de um deles. Então eles negam, mas o que chamou atenção da operação é o número de veículos com marcas importadas que o principal suspeito tinha, como ele se classificar beneficiário do auxílio emergencial, como ele justificaria a aquisição desses veículos”, completou Jacobina.

Modus operandi
A PF-BA relatou que o trio concluiu o crime em duas fases: eles cadastravam as contas com os dados dos beneficiários no Caixa Tem e quando as vítimas iam realizar o cadastro percebiam a fraude; na segunda etapa, os integrantes criavam bancos digitais e pagavam boletos bancários fraudulentos com o dinheiro do auxílio emergencial para suas contas pessoais.

Com a operação, os suspeitos estão em prisão temporária até sexta-feira (13) e cinco veículos foram apreendidos.