Início Destaque Traficantes filmaram execução de jovem músico em Vila de Abrantes; ele está...

Traficantes filmaram execução de jovem músico em Vila de Abrantes; ele está desaparecido há mais de uma semana

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

O músico Renato Santos Evangelista Sobrinho, de 23 anos, foi executado por traficantes da localidade conhecida como “Mutirão”, na região de Vila de Abrantes, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. A confirmação aconteceu da pior forma possível: os bandidos responsáveis pelo crime filmaram a execução do jovem.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

As imagens foram obtidas pela reportagem do Grupo Aratu, mas não serão postadas por respeito. O vídeo mostra “Renatinho” junto com três homens – pelo menos dois armados com pistolas -. “Vai me matar, é?”, questiona, antes de receber o primeiro tiro. Ele corre, mas é alcançado pelo trio e sofre mais disparos. Pelo menos nove tiros são ouvidos.

Onde está o corpo de Renato Santos, que desapareceu no dia 21 de novembro, ainda é um mistério. Oficialmente, a Polícia Civil, por meio da 26ª Delegacia Territorial (DT/Abrantes), não confirma, mas os suspeitos estão identificados. Eles são integrantes da facção criminosa Bonde do Maluco – que comanda o tráfico em Vila de Abrantes -.

DESAPARECIMENTO

O jovem, que morava em Portão – bairro controlado por uma facção criminosa diferente do grupo que atua em Vila de Abrantes -, estava trabalhando na região do “Mutirão”. Após o show, ele foi chamado por traficantes.

“Chegou lá no ‘Mutirão’, os traficantes pegaram ele, como se ele fosse traficante de Portão. Ele era inocente, trabalhava com todos. Isso não está certo. Eles pegaram o menino e enterraram o corpo”, disse um dos amigos de Renato, durante o protesto no último dia 23.

Os demais músicos da banda foram ouvidos pela Polícia Civil e os detalhes do depoimento não foram dados.

Na quarta-feira (24/11), uma operação foi montada pela Coordenação de Operações Especiais (COE) junto com agentes da 26ª DT em um matagal para onde traficantes teriam levado o músico depois da apresentação.

O que chamou a atenção é que um dos animais, por meio do cheiro de uma peça de roupa da vítima, indicou a um dos policiais que Renato foi levado vivo para o matagal. Depois, porém, o odor desapareceu. Isso confirma o que aparece nas imagens obtidas pela reportagem. A suspeita é que o corpo esteja realmente enterrado.

MÃE ESTÁ ABALADA

A família do músico sofre há mais de uma semana. Na última quinta-feira (25/11), a mãe dele, Paula Santos, acreditava que o filho não estaria morto. “Meu filho está vivo, em algum lugar. Ele só não foi achado ainda. Estou com esperança de que ele vá aparecer”.

A operação, da quarta-feira, foi acompanhada ao vivo pelo repórter do Grupo Aratu, Fábio Gomes, durante o programa Cidade Aratu. “Nem pude olhar para a televisão. Eu senti dor no peito vendo aquele cachorro. Está batendo muita saudade do meu filho. A notícia que o corpo não foi achado me acalmou. Estou com mais fé de que meu filho está vivo”, reforçou Paula.

Com informações do Aratu ON