Início Salvador “Seu desgraçado preto”, diz passageira após motorista de transporte por aplicativo se...

“Seu desgraçado preto”, diz passageira após motorista de transporte por aplicativo se negar a fazer manobra indevida em Salvador

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

A 16ª Delegacia Territorial, no bairro da Pituba, em Salvador, investiga o caso de racismo sofrido por um motorista de transporte por aplicativo ocorrido, na terça-feira (6/7), na capital baiana. O condutor Nelson Morais, relatou que foi humilhado e vítima de injúrias raciais, após negar o pedido de manobra indevida, solicitado pela cliente.

“Eu peguei a passageira em frente ao Shopping da Bahia com destino ao Shopping Salvador. Entretanto. ela queria que eu saísse da marginal e fosse para a principal pelo canteiro, pela calçada. Quando eu disse que não ia fazer isso ela começou a me ofender”, explicou a vítima ao Aratu On.

Imagens registradas pelo celular de Nelson comprovam a agressão. Diante da situação, o motorista decidiu deixar a usuária da plataforma no mesmo local em que ela fez a solicitação do serviço.

Insatisfeita, a mulher acusou o condutor de receber o “dinheirinho” sem deixá-la no destino solicitado. Na gravação, é possível ver, ainda, que ao sair do carro, ela, que estava acompanhada por uma criança, chama a vítima de “desgraçado preto”.

“Apesar de você não me levar ao endereço você ainda ganhou um dinheiro. Esse filho da p*** tem que tá na merda. Ele não fez a corrida e encerrou a corrida. Eu vou fazer uma reclamação de você”, diz a passageira.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Nelson relatou ao Aratu On que apesar de ter reportado o caso à Uber, obteve, apenas, uma mensagem automática, como resposta, alegando que repudia a qualquer forma de discriminação em viagens pelo aplicativo e que nenhum apoio foi fornecido até a manhã desta quarta-feira (7/7).

Informações preliminares dão conta de que a mulher teria fugido para a terra natal, em Fortaleza. Em nota, a Polícia Civil informou que o caso está sendo investigado que que a 16ª Delegacia Territorial solicitará o nome da usuária a plataforma de aplicativo.

Nota da Uber
A Uber possui uma política de tolerância zero a qualquer forma de discriminação em viagens pelo aplicativo. A conta que pediu a viagem em questão foi desativada da plataforma após a denúncia

A Uber busca oferecer opções de mobilidade eficientes e acessíveis a todos. A empresa reafirma o seu compromisso de promover o respeito, igualdade e inclusão para todas as pessoas que utilizam o app.

Sabemos que o preconceito, infelizmente, permeia a nossa sociedade e que cabe a todos nós combatê-lo. Como parte desses esforços, a Uber lançou, por exemplo, o podcast Fala Parceiro de Respeito, em parceria com a Promundo, com conteúdos educativos sobre racismo. Além disso, em parceria com as advogadas da deFEMde, a empresa revisou o processo de atendimento na plataforma, a fim de facilitar as denúncias de racismo e acolher melhor o relato da vítima. Recentemente, a Uber também lançou uma campanha que convida usuários e motoristas parceiros para serem aliados no combate ao racismo. A iniciativa tem o objetivo de promover um conteúdo educativo dentro do próprio aplicativo e é parte de um compromisso global assumido pela empresa no ano passado com o objetivo de combater o racismo e criar produtos igualitários por meio da tecnologia.

Com informações do Aratu ON