Início Destaque ‘Se não visse, não acreditaria’, afirma esposa de suspeito de estuprar sobrinha

‘Se não visse, não acreditaria’, afirma esposa de suspeito de estuprar sobrinha

Casado há 12 anos, homem foi preso após flagra de família da vítima na Mata Escura

Desde que tinha 13 anos, Joseane Oliveira, hoje com 25, conhece e namora Nataliano da Rocha Cruz, 27, mais conhecido como Natan. Os dois tiveram duas filhas e resolveram oficializar os 12 anos de união em junho deste ano. Na manhã dessa quinta-feira (30), a mulher estava saindo para o trabalho quando teve uma infeliz surpresa ao descobrir que o marido estava sendo acusado pela sobrinha de uma série de abusos sexuais.

“Minha mãe estava me esperando e disse que eu não poderia ir trabalhar, que teria que flagrar uma situação. Eu não entendi o que estava acontecendo e insisti para ela explicar, mas ela mandou eu aguardar. Foi minha irmã quem me contou que ele estava abusando de minha sobrinha. Eu entrei na casa e peguei ele sem roupa no quarto dela. Se não visse, não acreditaria”, contou Joseane.

Homem conhece a vítima desde que ela nasceu (Foto: Reprodução)

O caso aconteceu no bairro da Mata Escura, em Salvador, e deixou a rua movimentada. Joseane estava nervosa e emocionada, enquanto aguardava para prestar depoimento na Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Contra a Criança e Adolescente (Dercca), em Brotas, mas decidida nas declarações.

“Quando minha mãe falou que eu precisava fazer um flagrante, eu imaginei que ele estivesse me traindo com outra mulher. Se fosse uma situação dessa, eu poderia até perdoar, mas fazer isso com uma criança, não tem perdão”, comentou a esposa.

“Quem conhece minha sobrinha sabe que apesar dela ter 14 anos a cabeça ainda é de uma menina. Não aceitaria isso com a filha de ninguém”, completou Joseane, que havia tatuado o nome do marido no braço como prova de amor.

Com nome do marido tatuado no braço, Joseane diz que não o perdoa pelos abusos à criança (Foto: Evandro Veiga/ CORREIO)

O casal tem duas filhas de 8 e 5 anos. Há cerca de um mês, Joseane discutiu com um homem que mexeu com uma das filhas dela e disse que sempre orientou as meninas a contarem se alguém tocasse nos corpos delas.

A mãe de Joseane, Raimunda Oliveira, 57, percebeu alterações no comportamento da neta, como isolamento, ações mais agressivas e queda nas notas da escola, e desconfiou que havia algo errado. Ela conversou com a mãe da menina, Cíntia Oliveira, 31, que interrogou a filha, mas não teve resposta.

A balconista resolveu espionar as conversas da filha nas redes sociais e descobriu o que estava acontecendo. A adolescente contou que os abusos começaram em março do ano passado e que Nataliano ameaçava fazer algo com a família se ela não cedesse. O caso foi registrado na Dercca e está sendo investigado.

***

Veja onde buscar ajuda em casos de violência doméstica:
Cedap (Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa) – Atendimento médico, odontológico, farmacêutico e psicossocial a pessoas vivendo com HIV/AIDS. Endereço: Rua Comendador José Alves Ferreira, nº240 – Fazenda Garcia. Telefone: 3116-8888.

Cedeca (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Yves de Roussan) – Oferece atendimento jurídico e psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência. Endereço: Rua Gregório de Matos, nº 51, 2º andar – Pelourinho. Telefone: 3321-1543/5196.

Cras (Centro de Referência de Assistência Social) – Atende famílias em situação de vulnerabilidade social. Telefone: 3115-9917 (Coordenação estadual) e 3202-2300 (Coordenação municipal)

Creas (Centro de Referência Especializada de Assistência Social) – Atende pessoas em situação de violência ou de violação de direitos. Telefone: 3115-1568 (Coordenação Estadual) e 3176-4754 (Coordenação Municipal)

Creasi (Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso) – Oferece atendimento psicoterapêutico e de reabilitação a idosos. Endereço: Avenida ACM, s/n, Centro de Atenção à Saúde (Cas), Edifício Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto – Iguatemi. Telefone: 3270-5730/5750.

CRLV (Centro de Referência Loreta Valadares) – Promove atenção à mulher em situação de violenta, com atendimento jurídico, psicológico e social. Endereço: Praça Almirante Coelho Neto, nº1 – Barris, em frente a Delegacia do Idoso. Telefone: 3235-4268.

Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) – Em Salvador, são duas: uma em Brotas, outra em Periperi. São delegacias que recebem denúncias de violência contra a mulher, a partir da Lei Marinha da Penha.

Deam Brotas – Rua Padre José Filgueiras, s/n – Engenho Velho de Brotas. Telefone: 3116-7000.

Deam Periperi – Rua Doutor José de Almeida, Praça do Sol, s/n – Periperi. Telefone: 3117-8217.

Deati (Delegacia Especializada no Atendimento ao Idoso) – Responsável por apurar denúncias de violência contra pessoas idosas. Endereço: Rua do Salete, nº 19 – Barris. Telefone: 3117-6080.

Derca (Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente) Endereço: Rua Agripino Dórea, nº26 – Pitangueiras de Brotas. Telefone: 3116-2153.

Delegacias Territoriais – São as delegacias de cada Área Integrada de Segurança Pública. Segundo a Polícia Civil, os estupros que não são cometidos em contextos domésticos devem ser registrados nessas unidades. Em Salvador, existem 16 (http://www.policiacivil.ba.gov.br/capital.html).

Disque Denúncia – Serviços de denúncia que funcionam 24 horas por dia. No caso de crianças e adolescentes, o Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos oferece o Disque 100. Já as mulheres são atendidas pelo Disque 180, da Secretaria de Políticas Para Mulheres da Presidência da República. Fundação Cidade Mãe – Órgão municipal, presta assistência a crianças em situação de risco. Endereço: Rua Prof. Aloísio de Carvalho – Engenho Velho de Brotas.

Gedem (Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público do Estado da Bahia) – Atua na proteção e na defesa dos direitos das mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Endereço: Avenida Joana Angélica, nº 1312, sala 309 – Nazaré. Telefone: 3103-6407/6406/6424.

Iperba (Instituto de Perinatologia da Bahia) – Maternidade localizada em Salvador que é referência no serviço de aborto legal no estado. Endereço: Rua Teixeira Barros, nº 72 – Brotas. Telefone: 3116-5215/5216.

Nudem (Núcleo Especializado na Defesa das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar da Defensoria Pública do Estado) – Atendimento especializado para orientação jurídica, interposição e acompanhamento de medidas de proteção à mulher. Endereço: Rua Pedro Lessa, nº123 – Canela. Telefone: 3117-6935.

Secretaria Estadual de Políticas Para Mulheres Endereço: Alameda dos Eucaliptos, nº 137 – Caminho das Árvores. Telefone: 3117-2815/2816.

SPM (Superintendência Especial de Políticas para as Mulheres de Salvador) – Endereço: Avenida Sete de Setembro, Edifício Adolpho Basbaum, nº 202, 4º andar, Ladeira de São Bento. Telefone: 2108-7300.

Serviço Viver – Serviço de atenção a pessoas em situação de violência sexual. Oferece atendimento social, médico, psicológico e acompanhamento jurídico às vítimas de violência sexual e às famílias. Endereço: Avenida Centenário, s/n, térreo do prédio do Instituto Médico Legal (IML) Telefone: 3117-6700.

1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar – Unidade judiciária especializada no julgamento dos processos envolvendo situações de violência doméstica e familiar contra a mulher, de acordo com a Lei Maria da Penha. Endereço: Rua Conselheiro Spínola, nº 77 – Barris. Telefone: 3328-1195/3329-5038.