Início Notícias Salvador: Garota de 5 anos é achada morta; há sinais de estupro

Salvador: Garota de 5 anos é achada morta; há sinais de estupro

O corpo de uma menina de 5 anos foi encontrado na madrugada desta quinta-feira (12) no bairro de Pirajá, em Salvador. A família havia denunciado o desaparecimento de Pâmela Vitória Cruz Lima na manhã desta quarta-feira.

De acordo com a avó da menina, Maria Bernardete das Virgens, o desaparecimento foi percebido durante a tarde, quando a criança deveria ter retornado da casa de um colega, localizada na mesma rua. Pâmela teria saído para brincar por volta das 11h. Por não ter retornado, a avó foi ao local chamá-la de volta para casa. A mãe do colega de Pâmela informou que ela foi brincar, mas já não estava mais lá e imaginava que ela tivesse retornado para casa.

Desde então, familiares e vizinhos começaram as buscas pela menina, que só foi encontrada na madrugada desta quinta-feira por um vizinho que saia para trabalhar. Segundo informações da Central de Polícia, a menina foi encontrada nua e com sinais de violência sexual por volta das 4h50 da madrugada. O corpo foi achado na Rua 24 de agosto, local onde a menina morava.

Familiares e vizinhos afirmam que, durante as buscas, passaram diversas vezes pelo local e não encontraram nada. Por conta disso, a suspeita é que Pâmela tenha sido morta em outro local e colocada na rua em que morava depois. Ainda de acordo com os moradores, não foi notado nenhum comportamento estranho em relação à menina nos últimos dias. Também não há informações sobre os suspeitos, mas a polícia trabalha com a hipótese de que tenha sido alguém da região.

O Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi enviado ao local para realizar perícia. O corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) Nina Rodrigues. Policiais civis e militares fazem buscas ao suspeito e também às roupas da criança, que ainda não foram encontradas.

 Familiares e vizinhos serão chamados para depor sobre o desaparecimento da criança. O crime será investigado pela Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Dercca).

*Com informações do repórter Victor Lahiri – Correio da Bahia