Início Bahia Roubos a banco crescem 36,3% no estado em 2021

Roubos a banco crescem 36,3% no estado em 2021

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE
Foto: Reprodução/ Blog edivaldo braga

Mais um assalto a banco aconteceu na madrugada desta terça-feira (17), em Amélia Rodrigues, na Bahia. De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), a polícia já identificou os suspeitos pela autoria do ataque, assim como do ocorrido no início do mês, em Conceição de Feira.

A SSP-BA revelou que o número de assaltos a bancos no primeiro semestre de 2021 cresceu 36,3% em relação aos primeiros seis meses do ano passado. Em 2020, houveram 21 ocorrências do crime de janeiro a julho, enquanto em 2021 o número de casos saltou para 33 no mesmo período. O que representa uma média de aproximadamente 4,7 assaltos a bancos por mês.

Ainda segundo informações da SSP-BA, os suspeitos das últimas ações em Amélia Rodrigues e Conceição de Feira são criminosos remanescentes de quadrilhas já desarticuladas durante a operação “Aerárium”. Na oportunidade foram encontrados 29 criminosos, 25 armas foram apreendidas e cerca de R$ 350 mil em espécie foram recuperados.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Em um encontro entre integrantes da cúpula da SSP-BA e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), nesta terça (17), foi discutido a adoção de estratégias para coibir esses assaltos e proteger as instituições bancárias do estado.

Entre elas, o entintamento das cédulas é uma das medidas defendidas para dificultar a utilização dessas notas roubadas. O secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, lembrou que estes procedimentos inibem a ação dos criminosos.

“No último ataque, as notas estavam entinturadas, o que impede o uso do dinheiro. Isso é resultado de uma colaboração entre bancos e a SSP”, lembrou o gestor.

As ações de combate ocorrem em conjunto entre as forças de segurança estaduais (Polícias Civil e Militar) e federais (Polícias Federal e Rodoviária Federal).

Com informações do bahia.ba