Início Destaque ‘Rola de palavrão a masturbação’, diz aluna sobre transporte universitário

‘Rola de palavrão a masturbação’, diz aluna sobre transporte universitário

Por CN1

Ontem em Salvador, aguardando os motoristas trocarem peças nos carros pra poder voltar pra casa (Foto: Universitária)

Duas estudantes entraram em contato com a redação do Camaçari Notícias para denunciar as condições precárias do transporte universitário que leva os alunos para as faculdades fora do município. Elas afirmam que os ônibus são velhos, quebram constantemente e uma até cita que alguns colegas chegam a se masturbar no fundo do carro. Acompanhe os relatos:

Estudante 1

“Gostaria de fazer uma denúncia a respeito do transporte universitário, que desde o meado do antigo governo e principalmente nesse governo, os ônibus se tornaram uma catástrofe. São baratas, pneus estourando no meio do caminho e peças quebrando”.

“É comum o ônibus lacrado sem poder abrir a janela, com o ar condicionado quebrado. Ar condicionado em um carro que NÃO ABRE janelas não é LUXO, estamos jogados às traças, apelando pra poder estudar”.

“Queria poder entender o porquê dos roteiros de dia são limpos, com ônibus bem conservados, e os ônibus dos roteiros noturnos (quando tá escuro e ninguém vê) sobem e descem quebrados, colocando em risco 40, 50, 60 alunos por ônibus nessa estrada. Os governantes desse município vão esperar um acidente fatal para se pronunciar?”

“Nós somos filhos de Camaçari, trabalhamos o dia todo e pagamos impostos, merecemos também um transporte de qualidade, porque isso nunca foi favor. Chega de justificar a falta de verba, porque dinheiro pra cavar e tapar buraco pelo centro da cidade ou aumentar salários, sabemos que tem!”.

Estudante 2

“Sou Universitária e venho através deste e-mail, relatar alguns pontos que tem acontecido no roteiro R05 (UNIFACS, Tancredo Neves) Salvador”.

“1º – O ônibus que tem sido ofertado desde o semestre passado 2018.1, é um ônibus velho, o ar condicionado não funciona e a cada duas vezes na semana o carro quebra”.

“2º – O motorista fuma muito e o carro fica impregnado com o cheiro do cigarro, dorme e atrasa o roteiro (frequentemente). Fora que ontem, dia 13/08, o carro quebrou, ficamos em frente a faculdade por 20 minutos sem notícias do roteiro, até alguns alunos irem andando até o ônibus e nos dar notícias. Ao chegar na Paralela, o motorista parou o carro perto da Estação Mussurunga, desceu do carro sem nos comunicar, parou por alguns minutos e esperou uma outra pessoas que o aguardava”.

“3º – Sei que em nosso contrato está escrito quanto à balbúrdia e bagunças. Este é o pior roteiro que eu já vi em minha vida. Na frente vem uma equipe com quatro pessoas que falam super alto e xingam muito (palavrões absurdos), e no fundo (rola de tudo, de palavrão a MASTURBAÇÕES entre alunos, são coisas absurdas que acontecem no fundo do ônibus)”.

“Então, a única coisa que peço é que se tome uma providência quanto a isso, porque desde o primeiro semestre que isso acontece, mas nada é feito. Tanto dos ônibus quebrando e sem ar, quanto à bagunça no ônibus”.