Início Esportes Rivais, Holyfield e Todo Duro marcam nova luta após 11 anos

Rivais, Holyfield e Todo Duro marcam nova luta após 11 anos

Margarida Neide | Ag. A TARDE

Aos 48 anos, lutadores mantêm o clima de provocação

Imaginem como foi a cena: nesta quinta, 5, à tarde, dois velhos conhecidos almoçaram juntos numa churrasquaria em Caminho de Areia. O papo, durante horas, se repetia da seguinte forma: “Eu vou te estraçalhar todo”. “Então venha, seu infeliz, que eu te mando direto para o caixão”. “O que é, frangote? Eu vou te moer na porrada. Não vai sobrar pedaço seu pra contar a história”.

A situação, verídica, mostrava que, mesmo duas décadas após iniciada uma das maiores rivalidades do boxe brasileiro, o comportamento do baiano Reginaldo Holyfield e do pernambucano Luciano Todo Duro, ambos aos 48 anos, continua igualzinho.

Nesta quinta, Todo Duro veio a Salvador para acertar mais uma luta com Holyfield. O encontro, que contou também com a participação do cineasta Sérgio Machado (do filme Cidade Baixa) e de representantes dos pugilistas, fechou o embate para 11 de agosto, em Recife.

Também ficou acertado o peso dos lutadores: 86 kg – Holyfield precisará descer 10 kg e Todo Duro subir 6 kg. E foi aceita a contraproposta de Holyfield para uma segunda luta, na primeira quinzena de dezembro, em Salvador.

Enquanto as negociações eram fechadas, a provocação seguia. Questionado sobre a razão, após tanto tempo, de ter chamado Holyfield para uma nova luta, Todo Duro pôs a mão no queixo e, fingindo refletir seriamente, respondeu:

“Eu queria uma luta para encerrar a carreira. Então, pensei: ‘vou encher um baiano de porrada’. Aí, decidi bater em Holyfield porque ele já está acostumado a apanhar mesmo”. Ao ouvir, Holyfield devolveu: “o que esse infeliz quer?  No primeiro murro, já vou virar ele de cabeça para baixo”.

Quanto ao histórico, mais bate-boca. Holyfield diz ter ganho cinco lutas e perdido três. Todo Duro rebate: “Quem venceu cinco fui eu. Esse cara já apanhou tanto de mim que perdeu totalmente a memória”.

Retrospecto

Na verdade, foram seis lutas. Três triunfos de cada, além de histórias memoráveis. Na pesagem do terceiro combate, Todo Duro cuspiu na própria mão e, depois, deu um tapa no peito de Holyfield, afirmando: “vou raspar seu bigode inteiro na porrada. Cada murro vai ser um fio que eu vou tirar”.

Porém, na luta, no Balbininho, em Salvador, Holyfield venceu no quarto assalto e Todo Duro saiu do ginásio sob uma chuva de cadeiras.

Já em 2002, o quinto confronto, também no Balbininho, teve vitória de Todo Duro no sétimo round. O soco final pôs o rival para fora do ringue e gerou clima hostil no local.  Enquanto tentavam agredir o pernambucano, ele provocava Acelino ‘Popó’ Freitas, presente ao ginásio como espectador: “Sobe aqui, franguinho. Eu quero é você. O negão ali (Holyfield) não dá pra nada”. O maior pugilista da história da Bahia, fã dos dois, só fez rir.

Contudo, para Sérgio Machado, que está finalizando o documentário ‘A Luta do Século’, sobre a história de Holyfield e Todo Duro, o ideal seria que a sétima luta nem ocorresse. “Me afeiçoiei aos dois. Por mim, tudo terminaria numa grande ‘farofa’ e a luta nem ocorreria. Não deveria haver desempate. Um dos dois não pode terminar essa história triste”.

A história do confronto Holyfield x Todo Duro

1996  – Luta em Recife. Vitória de Luciano Todo Duro por pontos

1998 – Revanche em Salvador. Reginaldo Holyfield vence por nocaute no 7º assalto

1999 – O desempate ocorre também em Salvador. Holyfield, agora, nocauteia o rival no 5º assalto

2001 – O confronto volta para Recife. Tudo Duro aplica um nocaute fulminante no 2º round

2002 – A revanche é, mais  uma vez, em Salvador. Todo Duro derruba Holyfield no 7º round

2004 – A sexta e até aqui última luta ocorre em Barreiras. Holyfield vence por pontos

 

 

A tarde