Início Brasil Preço médio da gasolina caiu a R$ 5,76 nos postos na última...

Preço médio da gasolina caiu a R$ 5,76 nos postos na última semana, diz ANP

Ainda sem reflexos diretos do conflito no Oriente Médio, o preço do litro da gasolina caiu nos postos de combustíveis do país na última semana — a primeira após o início da guerra entre Hamas e Israel. É o que mostram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A pesquisa é referente à semana de 8 a 14 de outubro, mas foi divulgada nesta quarta-feira (18) devido ao feriado prolongado do último dia 12.

Gasolina: O combustível foi comercializado, em média, a R$ 5,76, marcando a sétima queda seguida.

O recuo foi de 0,17% frente aos R$ 5,77 da semana anterior, segundo os dados da ANP.
O preço máximo do combustível encontrado nos postos foi de R$ 7,59.

Etanol: O preço médio do etanol, por sua vez, caiu para R$ 3,61 na última semana.

A queda foi de 0,28% em relação aos R$ 3,62 da semana anterior.
O preço mais alto identificado pela ANP foi de R$ 6,60.

Diesel: Já o litro do diesel foi comercializado, em média, a R$ 6,05.

O recuo foi de 0,33% frente aos R$ 6,07 da semana anterior.
O valor mais caro encontrado pela agência foi de R$ 7,95.
Veja mais abaixo, na calculadora do g1, qual a opção mais vantajosa na hora de abastecer.

Confira qual combustível vale mais a pena:

Como funciona a calculadora?
O cálculo médio é feito a partir do preço e do rendimento de cada combustível. Com a oscilação dos valores da gasolina e do etanol nos postos, a opção mais vantajosa pode variar.

Segundo especialistas, o etanol vale mais a pena quando está custando até 70% do preço da gasolina. Entenda o cálculo.

Alta do petróleo
As preocupações diante do conflito entre Hamas e Israel, que chegou ao 12º dia nesta quarta-feira, têm feito o preço do petróleo avançar.

Até a publicação desta reportagem, o barril de petróleo do tipo Brent — usado como referência no mercado — estava sendo negociado acima de US$ 91. Isso representa uma alta de 1,5% em relação ao dia anterior e de 6,4% na comparação com a última quarta-feira (11).

Fonte: G1