Início Camaçari Ponte que liga Monte Gordo à comunidade de Jordão é interditada em...

Ponte que liga Monte Gordo à comunidade de Jordão é interditada em Camaçari

A Prefeitura de Camaçari interditou a ponte que liga o distrito de Monte Gordo à comunidade de Jordão, na rodovia BA-512. A decisão foi tomada após denúncias da população e vistoria técnica realizada no local pela Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil. Com informações do portal A tarde

A equipe constatou manifestações patológicas comprometem diretamente a estabilidade e, consequente, o uso do equipamento. Nas considerações que constam no relatório da Defesa Civil, ainda foi destacado o avanço dessas manifestações e risco iminente à segurança daqueles que utilizam a ponte, como explica o coordenador do órgão, Ivanaldo Soares.

“O objetivo é garantir a integridade física das pessoas. A partir do momento que o poder público descobriu, a Defesa Civil veio e não tem como a gente não fazer essa intervenção, é para segurança de todos. É melhor sofrer com os transtornos ou com um acidente, se uma caçamba ou um ônibus escolar cair? A responsabilidade vai ser inteiramente nossa”.

A ponte tem aproximadamente 50 metros de extensão, está com até 13 centímetros de afundamento e quase a mesma medida de deslocamento na parte superior. A condição da estrutura impacta na vida de cerca de 2 mil pessoas, que moram nas comunidades de Jordão, Emboacica, Quilômetro 22 e no entorno da Barragem de Santa Helena.

O presidente da Associação de Moradores do Quilômetro 22, Admar Macedo, acompanhou a ação e falou sobre a inquietação com a situação da estrutura. “A nossa maior preocupação é com a comunidade aqui. Sou totalmente a favor da interdição, porque estamos vendo que está desgastada e tem um fluxo alto de caçambas que está sobrecarregando a ponte”.

No local, mesmo com a placa de sinalização de trânsito permitida para veículos de até 4 toneladas (t), a rotina é de que caçambas atravessam com peso acima da capacidade, de até dez vezes mais. A Secretaria de Infraestrutura da Bahia também esteve no local e confirmou a necessidade da interdição.