Início Salvador Policial militar é morto a tiros em Brotas

Policial militar é morto a tiros em Brotas

Por Correio da Bahia

Policial da reserva remunerada, Carlos Cruz foi assassinato na Cruz da Redenção (Foto: Reprodução)

O policial militar da reserva Carlos José de Jesus Cruz, 50 anos, foi assassinado a tiros no bairro de Brotas, no início da tarde desta segunda-feira (2). No local, testemunhas disseram ao CORREIO que, no momento do crime, o sargento aposentado estava em um bar, quando dois homens ainda não identificados passaram em uma moto atirando. Os autores estão sendo procurados. A informação é da assessoria da Polícia Militar.

Carlos fazia segurança em uma loja de frios e outros estabelecimentos do entorno. O crime aconteceu em frente a uma loja de uma rede fast food na Ladeira da Cruz da Redenção, no cruzamento entre a Rua Campinas de Brotas e a Avenida Dom João VI. Muitos curiosos foram ao local para acompanhar o trabalho da perícia. Segundo a perita Karla Camacam, o PM estava de costas quando foi atingido por cinco disparos – dois na cabeça e, logo depois, três no tórax. Foram pelo menos sete disparos.

“Não escutei o barulho, mas, quando vi, tomei um susto, porque conhecia ele. Sempre estava aqui fazendo segurança das lojas”, contou o garçom Marconi RIbeiro.

De acordo com informações da 26ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Brotas), por volta das 14h, policiais militares da unidade foram acionados por populares para atender a ocorrência – o crime ocorreu por volta de 13h30. A PM isolou a área e acionou o Serviço de Investigação em Local de Crime (Silc) para proceder com a perícia e remoção do corpo.

Segundo nota da Secretaria da Segurança Pública (SSP), a força-tarefa que investiga a morte de policiais já começou a ouvir testemunhas do atentado ao sargento. Uma das hipóteses investigadas é a de vingança.

“O crime aconteceu em um horário de grande movimento. Já estamos colhemos informações sobre os autores do crime”, afirmou o coordenador da força-tarefa, delegado Odair Carneiro. Ele disse ainda que câmeras de estabelecimentos próximos também podem ajudar a identificar os criminosos.

O secretário da Segurança Pública Maurício Teles Barbosa lamentou a morte do sargento, que já trabalhou na Assistência Militar da pasta, e determinou prioridade na investigação do caso. “Era um homem honesto e trabalhador, que enquanto serviu à polícia baiana sempre foi exemplo de dedicação. Não vamos baixar a guarda enquanto não prendermos os autores deste crime”, afirmou. Carlos José de Jesus Cruz é o 18º policial militar morto na Bahia este ano.

A família da vítima foi ao Instituto Médico-legal Nina Rodrigues (IML), para onde o corpo foi levado, mas ninguém quis falar com a reportagem. Até as 17h desta segunda, o corpo ainda não havia sido liberado para os familiares. Ainda não há informação sobre data e local do sepultamento.

Populares acompanham a perícia no local, próximo a uma feira (Foto: Milena Teixeira | CORREIO)