Início Salvador Policiais presenteiam garoto autista de 12 anos com televisão; “única distração”, diz...

Policiais presenteiam garoto autista de 12 anos com televisão; “única distração”, diz mãe em apelo

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Integrantes da 12ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Rio Vermelho) se uniram após se comoverem com o apelo da mãe de um garoto autista que havia acabado de perder a única diversão em casa durante a pandemia: uma televisão. Os PMs conseguiram arrecadar uma quantia e comprar uma TV nova, doada à família nesta quarta-feira (1/9).

Nas redes sociais, a moradora do Subúrbio Ferroviário de Salvador, Rosilene Silva Almeida, fez uma publicação. ‘Hoje eu vou me humilhar mais uma vez pelo bem do meu filho’, escreveu, ao pedir doações em dinheiro para que pudesse juntar o valor necessário para a compra do item, pois o pai do garoto havia tomado o aparelho do filho, única distração durante o isolamento da família na pandemia.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Messias Silva, de 14 anos, foi diagnosticado com um grau elevado de autismo quando ainda tinha 4 anos e, depois disso, foi abandonado pelo pai, segundo explicou a mãe aos policiais. Desde então, a família enfrenta dificuldades econômicas e assistenciais.

“Eu vi essa publicação no dia do meu aniversário e me tocou profundamente. Na mesma hora eu falei para ela apagar a postagem e disse que ela não terá que se humilhar nem hoje, nem nunca mais”, detalhou a comandante da unidade, major Erica Patrícia.

Com surpresa e emoção, mãe e filho foram até a base da 12ª CIPM buscar o equipamento de 36 polegadas. “Eu já acompanho a história dele há pelo menos 7 anos. Assim que ele me viu, correu para me abraçar e depois pegou a televisão e não largou mais. Essa foi apenas uma pequena contribuição”, concluiu a major.

Com informações do Aratu on