Início Séries Polêmico especial do Porta dos Fundos bate recorde e Netflix anuncia nova...

Polêmico especial do Porta dos Fundos bate recorde e Netflix anuncia nova edição em 2020

Polêmico especial do Porta dos Fundos bate recorde e Netflix anuncia nova edição em 2020 1
Foto: Reprodução

Em meio a muita polêmica e promessa de boicote, “A Primeira Tentação de Cristo”, especial de Natal do Porta dos Fundos, é a produção brasileira mais vista da história da Netflix.

O serviço não divulga seus dados de audiência, mas uma fonte do jornal O Globo afirmou que essa é a atração de melhor desempenho no catálogo feito a partir do Brasil.

Com o sucesso, Netflix e Porta dos Fundos fecharam um acordo para produção de um novo especial de Natal para 2020.

Boicote

No especial, Jesus é vivido por Gregório Duvivier. Prestes a completar 30 anos, ele é surpreendido por uma festa de aniversário quando voltava do deserto com o namorado, Orlando (Fábio Porchat).

A interpretação de Jesus como gay gerou revolta entre alguns grupos. Uma abaixo-assinado reclamando da obra, acusada de “ofender os cristões”, já tem quase 2 milhões de assinaturas no site Change.org.

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, também criticou a obra. “A @NetflixBrasil acaba de lançar um “Especial de Natal” onde Jesus Cristo (@gduvivier) é gay e tem relações com @FabioPorchat, além de se recusar a pregar a palavra de Deus”, escreveu Eduardo. “Somos a favor da liberdade de expressão, mas vale a pena atacar a fé de 86% da população? Fica a reflexão”, disse, compartilhando uma montagem que diz que a Netflix “ataca cristãos”.

O Porta dos Fundos afirma, através da assessoria, que “valoriza a liberdade artística e faz humor e sátira sobre os mais diversos temas culturais e da nossa sociedade”.

A Netflix diz que não irá fazer qualquer pronunciamento sobre o caso, e ressaltou que “valoriza a liberdade de expressão artística”. A empresa lembrou ainda que a parceria com o Porta dos Fundos foi vencedora do Emmy Internacional de Melhor Comédia em 2018.

por Correio 24 Horas