Início Polícia Pastor desaparecido simulou sequestro e pediu resgate em bitcoin, diz polícia

Pastor desaparecido simulou sequestro e pediu resgate em bitcoin, diz polícia

Segundo a polícia, ele pediu resgate de três bitcoins para a família – cada um está cotado em cerca de R$ 35 mil. O valor não foi pago.

Pastor desaparecido em São José dos Campos (Foto: Arquivo Pessoal )

Após quatro dias desaparecido, um pastor evangélico da Assembleia de Deus Missão, de São José dos Campos (SP), se apresentou à delegacia no fim da tarde desta quinta-feira (1º) e, segundo a polícia, confessou que simulou um sequestro. Ainda segundo a polícia, ele pediu resgate de três bitcoins para a família – cada um está cotado em cerca de R$ 35 mil, nesta quinta. O valor não foi pago.

Ele estava desaparecido desde a última segunda-feira (26), quando foi visto pela última vez no bairro Vista Verde, na zona leste da cidade, onde se encontrou com outro pastor.

De acordo com a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Alexandre Geraldo dos Anjos, conhecido como Sandro, de 34 anos, foi até a delegacia de Igaratá e contou que tinha sido sequestrado no início da semana, mas que tinha conseguido fugir do cativeiro.

Os policiais encaminharam o homem para a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de São José e, em depoimento, ele teria confessado que o sequestro era falso.

“Nós recebemos uma denúncia ontem informando que o pastor tinha almoçado em um restaurante em Jacareí. Fomos até lá e pegamos a filmagem e vimos que ele estava tranquilo. Então, quando ele começou a contar a história do sequestro, já desconfiamos e ao pressioná-lo, ele revelou a mentira”, contou o delegado Neimar Camargo.

Ainda segundo o delegado, o pastor relatou que estava com dívidas e precisava de dinheiro para quitá-las. “Ele tinha pedido o pagamento de três bitcoins, mas como já desconfiávamos, a família não tinha pago”, explicou o delegado. O pastor teria comprado um chip de celular de um número de São Paulo e enviado mensagem para um amigo pedindo que ele entrasse em contato com a família pedindo o resgate. Esse amigo não sabia que se tratava de um golpe.

Após ser ouvido, o pastor foi liberado. Ele deverá ser indiciado por estelionato – por criar uma fraude para conseguir dinheiro. O G1 procurou a família do pastor, que informou que ele tinha chegado em casa e não teve tempo de conversar para explicar o que houve. A reportagem tentou novos contatos de parentes dele, mas ninguém mais atendeu as ligações na noite desta quinta.

Por G1 Vale do Paraíba e Região