Início Brasil Operação termina sem paradeiro dos 3 meninos desaparecidos em Belford Roxo

Operação termina sem paradeiro dos 3 meninos desaparecidos em Belford Roxo

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE
Crianças estão desaparecidas há quase cinco meses (Reprodução)

Dezesseis pessoas foram presas nesta sexta-feira (21) em uma operação da Polícia Civil do Rio no Morro do Castelar, em Belford Roxo. Os investigadores não sabem dizer, contudo, se algum dos presos teve participação direta no desaparecimento de três meninos na cidade há cerca de cinco meses.

A ação de hoje prendeu acusados de participar na tortura de um homem que o tráfico da região queria que assumisse a responsabilidade pelo sumiço das crianças. Esse homem foi expulso da favela com a família. Doze dos presos participaram diretamente na ação e faziam parte de um “tribunal do tráfico” na região, punindo moradores que não cumprem as regras dos traficantes. As informações são do jornal Extra.

Procurar no site do Correio
Buscar
Assine

brasil
Operação termina sem paradeiro dos 3 meninos desaparecidos em Belford Roxo
Presos hoje participaram de tortura para tentar obrigar morador a assumir crime, diz polícia
Da Redaçã[email protected]
21.05.2021, 15:32:00
By Clever Advertising
Crianças estão desaparecidas há quase cinco meses
Crianças estão desaparecidas há quase cinco meses (Reprodução)
Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Dezesseis pessoas foram presas nesta sexta-feira (21) em uma operação da Polícia Civil do Rio no Morro do Castelar, em Belford Roxo. Os investigadores não sabem dizer, contudo, se algum dos presos teve participação direta no desaparecimento de três meninos na cidade há cerca de cinco meses.

A ação de hoje prendeu acusados de participar na tortura de um homem que o tráfico da região queria que assumisse a responsabilidade pelo sumiço das crianças. Esse homem foi expulso da favela com a família. Doze dos presos participaram diretamente na ação e faziam parte de um “tribunal do tráfico” na região, punindo moradores que não cumprem as regras dos traficantes. As informações são do jornal Extra.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

“A operação de hoje pode ajudar a angariar fatos ou não (sobre o desaparecimento)”, diz o delegado Uriel Alcântara, titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). “Ela surge com um homem que foi torturado. Existe um nexo para apurar se pode ter ligação com o caso de desaparecimento. Pelo menos doze pessoas participaram da agressão ao homem e isso foi mencionado no inquérito”.

Além dos presos, um adolescente de 17 anos também é acusado de participar das agressões ao morador. Ele teria mordido a orelha da vítima dentro do carro, afirmando que o diabo mandou beber o sangue dele. Esse menor tem um mandado de apreensão e está sendo procurado.

Imagens da vítima antes de ser torturada foram postadas nas redes sociais. A mensagem dizia que ele era o suspeito pelo desaparecimento dos meninos. “Além de diversas informações (que partiu do tráfico o sumiço das crianças), temos como a própria tortura (do morador) e a imputação à ele pelo crime e ônibus incendiado em dia de manifestação plantada pelos próprios criminosos. Essa linha tem um peso relevante e estamos dando um peso especial”, diz o delegado.

Lucas Matheus, de 8 anos, Alexandre da Silva, de 10, e Fernando Henrique, de 11 anos, foram vistos pela última vez em 27 de dezembro do ano passado. Desde então, existe uma busca pelos meninos.

“Não descansaremos enquanto não elucidar esse fato. Existe uma conjunção de esforços para elucidar esse caso. Vamos dar uma resposta para esse caso. Tivemos a tortura e a expulsão de um morador da comunidade e isso mostra que o tráfico tentou se eximir do desaparecimento dos meninos. Estamos conjugando os esforços necessários para a elucidação do fato”, garante Roberto Cardoso, diretor do Departametno Geral de Homicídios e Proteção da Pessoa.

Com informações do Correio da Bahia