Início Destaque ONG afirma que um gato morreu e outro foi internado após incêndio...

ONG afirma que um gato morreu e outro foi internado após incêndio em ‘colônia’ de Piatã

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

De acordo com a Organização Não Governamental (ONG) União de Proteção Salvador, um gato morrreu e outro precisou ser internado com problemas respiratórios após um incêndio, supostamente criminoso, que atingiu a colônia de gatos que fica no bairro de Piatã, em Salvador, na tarde deste domingo (4).

Durante o incêndio, 35 filhotes foram retirados da colônia, entre bebês e filhotes. Segundo a ONG, cerca de 300 animais vivem no local.

Em entrevista à TV Bahia, médica veterinária Ilka Gonçalves disse que alguns filhotes ainda mamavam e ainda nem chegaram a abrir os olhos. Outros maiores conseguiram correr, mas tiveram a saúde afetada por ter inalado fumaça. Um terceiro gato foi levado por uma voluntária e permanece em observação.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Após o incêndio, a Prefeitura de Salvador, sob a coordenação da Diretoria de Bem-Estar e Proteção Animal (Dipa), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), iniciou as ações para minimizar os impactos provocados pelo fogo. Na ocasião, agentes da Dipa e do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) estiveram no local para auxiliar os protetores de animais e voluntários no resgate dos felinos, incluindo a articulação da oferta de rações e medicamentos para amenizar os danos sofridos pelos gatos.

A colônia era mantida por moradores da região e protetores dos animais, que diversas vezes pediram socorro para dar um destino adequado aos bichos. O espaço sempre foi motivo de discórdia entre os moradores da localidade e protetores. Enquanto uns tentaram defender os gatinhos, muitos eram contra alimentá-los.