Início Brasil Ninhada de ovos de dinossauro é descoberta no interior paulista

Ninhada de ovos de dinossauro é descoberta no interior paulista

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE
Ovos estavam no mesmo local em que foi encontrada uma ninhada com ovos de crocodilo – Foto: Reprodução | Facebook | Museu de Paleontologia de Marília

O paleontólogo e coordenador do Museu de Paleontologia de Marília (SP), William Nava, encontrou uma ninhada de ovos fossilizados de dinossauros carnívoros em Presidente Prudente, no interior paulista. A descoberta ocorreu no final de 2021 no sítio paleontológico do Parque dos Girassóis.

No mesmo local, em 2020, o pesquisador já havia encontrado ovos fossilizados de crocodilo. Já os fósseis encontrados em 2021 são de dinossauros terópodes, carnívoros, de pequeno porte. O material fossilizado é do período Cretáceo Superior e tem entre 60 milhões e 80 milhões de anos.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Enquanto os ovos de crocodilo têm dimensões de 6 centímetros (cm) por 3,5 cm, os de dinossauro encontrados medem em torno de 12 a 13 cm de comprimento por 6 a 7 cm de largura.

“Normalmente, ovos fossilizados de crocodilomorfos têm casca externa com textura porosa ou lisa. Já a casca dos ovos dos dinossauros carnívoros tem textura em forma de ondinhas. Parecem pequenas minhoquinhas onduladas, o que difere da textura do crocodilomorfo”, disse Nava.

Segundo o pesquisador, os ovos foram encontrados isolados de qualquer outro vestígio de dinossauros, como dentes ou ossos, dificultando a identificação da espécie. Os ovos estão ainda inteiros e não eclodiram devido a algum evento desconhecido que impossibilitou o nascimento dos filhotes.

“Este é um dado interessante. Quem sabe se, em um desses cinco ovos, não se tenha um embrião fossilizado. Seria superbacana, algo inédito para o Brasil”, destacou o paleontólogo.

Fragmentos de casca dos ovos serão encaminhados para a Universidade de Brasília (UnB) e lá serão analisados com microscopia eletrônica de varredura.

Com informações do Portal A tarde