Início Brasil Menino que vendia em semáforo é pago com nota falsa de R$...

Menino que vendia em semáforo é pago com nota falsa de R$ 100

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE
(Foto: Reprodução)

Um menino de 13 anos que vendia trufas no semáforo em Jundiaí (SP) teve toda a mercadoria paga com uma nota falsa de R$ 100 na última sexta-feira (28). Ao notar que caíra em um golpe, quando foi usar a cédula em um supermercado, o garoto caiu no choro. Ele iria repor a mercadoria e comprar mantimentos para a casa.

A mãe dele, uma dona de casa de 31 anos, diz que o filho sempre vai vender as trufas na sinaleira depois da escola, por volta das 17h. Mais velho de cinco irmãos, ele usa o dinheiro que ganha para comprar “coisas de criança”, contou ela, que preferiu não se identificar, ao Uol.

“Uma pessoa passou no semáforo e comprou toda a mercadoria dele com uma nota de R$ 100 falsa, levando 20 trufas. Ele vende cada uma a R$ 5, o que dava certinho o valor da cédula. Meu filho faz isso para comprar coisas para ele mesmo e sempre diz para mim que sonha ser empreendedor ou vendedor no futuro”, explica a mãe. A mulher dirigia uma HB20.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Ela conta que o filho não foi até o supermercado com intenção de repassar a nota. “Ele é uma criança que não faz nada de errado e nunca passaria uma nota falsa, tanto que chorou depois de saber disso”, diz.

O segurança do mercado contou que o menino perguntou se a nota era verdadeira e ele logo reconheceu que se tratava de uma “falsificação grosseira”, que o garoto não conseguiu reconhecer. “Ele ficou bem desapontado porque iria fazer compras no mercado. O olho encheu de lágrima ao ver que perdeu tudo e foi tão honesto que quis deixar a nota para alertarem as meninas do caixa”, diz o funcionário.

Com informações do Correio da Bahia