Início Brasil MC Poze dá R$ 20 mil a segurança demitido após aceitar gorjeta...

MC Poze dá R$ 20 mil a segurança demitido após aceitar gorjeta de R$ 100 do funkeiro

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

A boa ação de MC Poze do Rodo, acabou rendendo prejuízo para um dos seguranças que recebeu a gorjeta de R$ 100 dado pelo funkeiro.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

O rapaz, Bernardo Henrique, de 27 anos, um dos beneficiados com a gorjeta dada aos funcionários do condomínio que ele mora, foi demitido pela empresa que trabalhava.

“A empresa demitiu o segurança que aceitou um simples agrado. Isso é muita marola com o trabalhador. Sem neurose, que mundo é esse, parceiro?! Como tem gente que consegue ser assim, irmão?”, questionou Poze.

MC Poze publicou em suas redes sociais que faria uma nova doação após demissão de segurança — Foto: Reprodução

A situação causou revolta na web, e acabou sendo contornada pelo funkeiro, que depositou R$ 20 mil na conta do profissional.

Segundo Bernardo, o valor dado por Poze serviria para renovar o cartão de transporte para ir trabalhar, já que o pagamento da empresa estava atrasado.

“Quando o Poze me deu o dinheiro, pensei: ‘Pô, vou botar esse dinheiro no Bilhete Único para vir trabalhar e ficar tranquilo”, disse o segurança.

O que diz a empresa:

Em nota, o grupo Lothar informou que o motivo da demissão não teria sido a doação, mas a postura do profissional.

“A motivação para o desligamento do colaborador em questão, foi a postura incondizente com seus pares e a falta de respeito com o direcionamento dado pela empresa. Outros colaboradores receberam a quantia e seguem com suas atividades normais em seus postos de trabalho”, diz a nota.

Bernardo, no entanto, discorda do posicionamento do grupo Lothar e avalia, inclusive, a possibilidade de recorrer à Justiça para garantir seus direitos.

“Essa nota é difamatória porque eu não fiz nada de errado. Eu sou um segurança recém-formado e eles estão dizendo que eu não tive postura no trabalho, isso é muito ruim porque pode me atrapalhar de conseguir um novo emprego”, rebate.

O profissional disse ainda que uma advogada, que mora condomínio em que trabalhava, se ofereceu para cuidar do caso. “O Poze é muito educado, estava sempre perguntando se precisamos de algo, oferece água, comida. Eu só aceitei o dinheiro porque ele ofereceu de bom grado, é muito injusto o que está acontecendo”, lamenta.