Início Bahia Lutador peruano de vale-tudo desaparece a caminho da Bahia: ‘choramos todos os...

Lutador peruano de vale-tudo desaparece a caminho da Bahia: ‘choramos todos os dias’

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

O lutador João Peña Ostos, de 33 anos, deixou Lima, capital do Peru, em 2014. Entrou no Brasil depois de encarar uma viagem de barco pela tríplice fronteira amazônica (Brasil, Colômbia e Peru). Queria começar uma nova vida em Manaus e se tornar um medalhista mundial de vale-tudo. Na capital manauara deu o primeiro passo na carreira internacional ao conquistar uma medalha de ouro em um torneio local.

Se tornou ilegal no país e mudou de estado. Impedido de trabalhar formalmente, passou a oferecer serviços em um espaço de carga e descarga, em São Paulo, depois de realizar vários bicos em academias de artes marciais da maior cidade do país.

Último contato
Desde 7 de agosto de 2018, João está desaparecido. Naquele dia, o pai, Jagne Peña, recebeu uma mensagem do segundo dos quatro filhos que tem, dois homens e duas mulheres. Pelo messenger, aplicativo de troca de mensagem do Facebook, o lutador avisou que estava viajando. O destino era a Bahia, o propósito da visita era desconhecido.

Era o quinto dia de viagem de João quando ele deixou de responder os familiares. O último contato foi feito no estado de Minas Gerais, em Oliveira, cidade com pouco mais de 40 mil habitantes, e distante cerca de 150 km da capital, Belo Horizonte.

Jagne pôde confirmar a localização porque o filho lhe enviou uma foto da fachada de uma igreja católica. O templo religioso foi reconhecido pelos moradores do município que tiveram contato com o drama da família Peña, após a história ser compartilhada com exaustão pelo pai em grupos do Facebook da cidade e em outros criados para ajudar nas buscas de desaparecidos.

João conquistou medalha de ouro em torneio vale-tudo na cidade de Manaus

“Só nos falávamos por messenger. João não me contava sobre sua intimidade, mas o que a gente sabe é que o sonho dele era se tornar um grande lutador. Sempre quis morar no Brasil por achar que aí teria melhor reconhecimento. Não sei dizer exatamente se essa viagem foi feita a pé, de ônibus ou se ele estava pegando carona na estrada. Também não sei sobre o motivo da viagem à Bahia. Ele morava no bairro de Vila Olímpia, em São Paulo, e tentava regularizar a situação para trabalhar formalmente”, conta Jagner ao Bnews.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Busca
O desaparecimento do lutador foi comunicado às embaixadas do Peru nas cidades de São Paulo e Belo Horizonte. O caso também foi reportado às autoridades peruanas e brasileiras. No país vizinho, a família diz não ter assistência. No Brasil, a polícia civil de São Paulo espera um aval dos policiais peruanos para trabalhar com autonomia no caso.

“Eu estou muito chateado com a polícia peruana. Ela não faz nada. Dizem que estão solucionando, mas não há uma pista. É muito difícil porque estou aqui, não posso viajar para o Brasil, essa pandemia afetou a todos economicamente. Não há um dia sequer que a mãe dele não chore”, continua o pai.

Jagne só tem as redes sociais como ferramenta para tentar encontrar uma pista sobre o paradeiro do filho. Monitora quase diariamente os mais de 80 grupos de usuários do Facebook que faz parte. As informações vão chegando aos poucos. Moradores da cidade de Oliveira dizem ter visto o lutador com uma aparência bem diferente daquela das fotos compartilhadas pelo pai. Mais magro, ele pode está vivendo em situação de rua.

Peruano se mudou para o Brasil em busca de reconhecimento

Paradeiro
“Ele esteve no meu supermercado pedindo comida”, escreveu uma mulher em uma publicação sobre o desaparecimento do peruano. “Ele costuma me pedir dinheiro”, disse uma outra. “Por favor, tire uma foto para que eu possa saber se é meu filho”, respondeu o pai a uma delas em uma conversa privada.

“Meu filho era um atleta, não bebia e nunca usou drogas, mas depois de um tempo sem notícias você passa a acreditar em qualquer hipótese. Alguém pode ter oferecido algo, ele pode inclusive ter perdido a consciência depois de um golpe. Não sabemos. É muito triste, me dói muito, muito mesmo”, completa.

João nasceu no dia 9 de dezembro de 1988. Branco e de estatura média, ele possui olhos castanhos claros e cabelo castanho escuro. Qualquer informação sobre o paradeiro do lutador deve ser encaminhada à Divisão de Desaparecidos do Estado de São Paulo pelo número (11) 97549-9770.