Início Brasil Justiça manda soltar presos em todo Brasil; Na Bahia, mais de 800...

Justiça manda soltar presos em todo Brasil; Na Bahia, mais de 800 já foram soltos

Justiça manda soltar presos em todo Brasil; Na Bahia, mais de 800 já foram soltos 1

A polêmica envolvendo o covid-19 também virou uma pandemia. Grande parte da população não compreende porque juízes tem liberado presos de sua pena de isolamento e exigem que a população permaneça isolada. É que pela pandemia do novo coronavírus presos provisórios, idosos ou que tenham doenças crônicas severas sejam libertados das prisões para evitar o avanço da contaminação.

No Sul do país, já tiveram autorização para deixar a prisão nos últimos dez dias cerca de 4.500 presos. Na Bahia, outros 800, número que ainda vai aumentar.

As decisões dos magistrados têm seguido a recomendação 062/2020 do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que indica a adoção de medidas em todo o país no sistema prisional para coibir o avanço do coronavírus.

A recomendação é de que, para reduzir riscos epidemiológicos, os juízes considerassem a reavaliação das prisões provisórias, priorizando mulheres gestantes, lactantes, mães ou responsáveis por criança de até 12 anos ou por pessoa com deficiência, assim como idosos, indígenas, pessoas com deficiência ou que se enquadrem no grupo de risco. No entanto, pelo grande número de liberados, ao que parece a soltura está sendo generalizada, indo muito além dos que deveriam ser avaliados com riscos em sua saúde.

Mais uma atitude que a população fica sem entender. População presa e presos soltos pela justiça. A própria justiça que vetou uma medida provisória do Governo Bolsonaro que tornava igrejas como serviço essencial para eventuais apoios durante a pandemia.

A medida de liberação de presos é defendida por aqueles que defendem o isolamento social da população, incluindo vários veículos da imprensa extremista e militantes da esquerda.

Com a medida, a população em geral manifesta outra preocupação: o perigo de que a atitude justiça possa ocorrer outra pandemia: a de crimes.

Por Folha do Brasil