Início Camaçari Justiça manda soltar 22 suspeitos de invasão a um assentamento em Abrantes

Justiça manda soltar 22 suspeitos de invasão a um assentamento em Abrantes

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Durante audiência de custódia, realizada nesta quarta-feira (24/11), a justiça baiana decidiu soltar todos os envolvidos na destruição no último sábado (20), das casas de 30 famílias, que ficavam localizadas em um assentamento em Vila de Abrantes, costa de Camaçari. Cinco Policiais Militares (PM) e 17 homens foram acusados de cometer a invasão.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

A polícia civil e o Ministério Público (MP) tinham pedido que as prisões dos cinco PMs fossem convertidas em preventivas. Mas de acordo com juiz Ricardo Dias de Medeiros Neto, teve “problemas nas imputações formuladas pela autoridade policial” sobre a suspeita de roubo e não foi descrito “quem teria cometido o crime, o que teria sido subtraído e de quem”, diz o texto do processo.

Já sobre a suspeita de associação criminosa, o juiz diz que a autoridade policial não relatou “qual seria a composição dessa associação” e a “atividade criminosa a que ela se dedicaria”, além da falta de informações sobre a relação entre os supostos integrantes. Isso levou a não homologação das prisões em flagrante dos PMs e os demais suspeitos.

As investigações continuam e a justiça não divulgou se eles já foram soltos. A 26ª Delegacia Territorial (DT) de Abrantes investiga o caso. As vítimas não aceitaram a decisão do juiz, mas destacam que ele agiu conforme a lei.

Fonte: TV BA