Início Destaque Jovem que foi ao “paredão” escondido da mãe e mulher que viu...

Jovem que foi ao “paredão” escondido da mãe e mulher que viu irmã morta: as histórias da chacina do Uruguai; suspeitos estão entre os feridos

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Familiares das seis vítimas fatais da chacina ocorrida no bairro do Uruguai, em Salvador, começam a comparecer no Instituto Médico Legal (IML) na tarde desta quarta-feira (13/10).

Na porta do local, localizado na Avenida Centenário, ninguém ainda tinha certeza do que poderia ter provocado o atentado, mas as histórias de vida dos três homens e três mulheres começam a ser esclarecidas.

Alexsandro dos Santos Seixas tinha 16 anos. De acordo com vizinhos entrevistados no IML, ele estava participando do “paredão” escondido da própria mãe, que estava dormindo em casa. O adolescente teria dito que iria para a casa da namorada, mas acabou indo à festa. Ao ouvir os disparos, a mãe dele ficou sabendo que havia sido atingido.

Quem não estava na festa eram Adriane Oliveira Santos, de 19 anos, segundo o irmão dela. A jovem saiu de casa junto com a irmã para levar um primo no ponto de ônibus quando ambas foram surpreendidas pelos disparos. Adriane, que deixa um filho pequeno, foi baleada e não resistiu. A irmã tentou correr e caiu. Ela não foi ferida a tiros por sorte.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Além deles, não resistiram: Deivison da Conceição Santos Santana, Brenda Buri, de 21 anos, Terezinha Sales dos Santos e Jailton Sales do Santos.

INVESTIGAÇÕES

De acordo com as apurações do Grupo Aratu, ainda não confirmadas oficialmente pela Polícia Civil, apontam que dois feridos, ainda internados no Hospital do Subúrbio, são suspeitos de terem começado a confusão. Assim que receberem alta, eles devem ser encaminhados para a sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e presos.

A Polícia Civil já sabe que tudo começou após a discussão entre dois homens que estavam no “paredão”, na Travessa Oito de Dezembro. No confronto, as pessoas que estavam no local acabaram atingidas. Um homem e um adolescente morreram no local, enquanto quatro baleados foram socorridos para unidades de saúde, mas não resistiram.

Alguns carros, que estavam estacionados no local, no momento da ação, foram atingidos por disparos e acabaram danificados.

Com informações do Aratu ON