Início Brasil Indígena sai para beber com colegas e é enterrado vivo

Indígena sai para beber com colegas e é enterrado vivo

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Um indígena, de 31 anos, foi esfaqueado, agredido e enterrado vivo por dois adolescentes e um adulto, após se envolver em uma briga em um bar. O caso aconteceu na última quarta-feira, dia 2, na cidade de Iguatemi, no Mato Grosso do Sul. Até esta terça (7), os suspeitos estavam foragidos.

De acordo com informações do portal G1, o indígena estava bebendo na companhia dos três agressores, que são seus colegas de trabalho, quando começou a discutir. O desentendimento evoluiu para uma briga.

A vítima foi rendida pelos dois homens, enquanto um outro ficou responsável por esfaqueá-la. Ela recebeu golpes no pescoço e em outras partes do corpo.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Ferida e desacordada, os agressores imaginaram que a vítima estava morta. Decidiram então enterrá-la em uma cova rasa. Eles fugiram logo em seguida, sem imaginar que o indígena estava vivo e mais: que conseguiria, sozinho, sair da cova.

Relato
Em depoimento à polícia, o indígena relembrou que caminhou na madrugada de sexta-feira (3), e que foi resgatado em um sítio durante a manhã, na região rural de Iguatemi.

“Era noite, eu não lembro de nada, mas quando eu fui ver o cara me deu um chute e me derrubou. Daí eles estavam em três, bateram em mim, depois me levaram lá, enterraram ainda lá né, falaram que eu já tinha morrido e voltaram para o sítio correndo, à noite”, disse o indígena em entrevista ao jornal O Globo.

“Eu mesmo que saí de lá [da cova rasa], porque eles foram tudo embora, então consegui sair de lá e entrei no mato para dormir”, acrescentou.

A vítima foi levada para uma unidade saúde municipal. Ela já recebeu alta médica. O caso é investigado pela Polícia Civil do Mato Grosso do Sul. Os cortes, na região do pescoço, foram superficiais.