Início Bahia Ideb 2017: Bahia tem o pior Ensino Médio do país

Ideb 2017: Bahia tem o pior Ensino Médio do país

Últimas séries do Ensino Fundamental também ficaram em último no ranking do MEC

Foto: Antonio Queirós/Arquivo CORREIO

A Bahia tem o pior Ensino Médio do Brasil, de acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017, divulgado nesta segunda-feira (3) pelo Ministério da Educação (MEC). O estado obteve Ideb 3,0, o que significa um decréscimo em relação ao último índice, de 2015, quando a Bahia registrou Ideb de 3,1. A meta projetada era de 4,3 para esse ano. A média do país no Ensino Médio foi de 3,8.

O índice avalia o fluxo escolar e as médias de desempenho em avaliações. As notas variam de zero a 10. Nas séries finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano), a Bahia também ficou em último no ranking nacional.

Ensino Médio
Do total de 412 municípios com Ideb calculado na rede estadual do Ensino Médio, 81,3% (335) obtiveram Ideb com até 3,1. Com Ideb entre 3,2 a 4,1 foram 18,2% (75) de cidades.

Apenas duas escolas da rede estadual (0,5%) obtiveram mais de 5,2 de Ideb no Ensino Médio.

Com Ideb entre 4,2 e 5,1, foram 14 (3,7%); de 3,2 a 4,1 foram 118 escolas (31,4%), e até 3,1 de Ideb foram 242 escolas estaduais (64,4%).

Ensino Fundamental inicial e final
Já no Ensino Fundamental final (do 6º ao 9º ano), o Ideb ficou estagnado. O índice de 3,7 obtido em 2015 se manteve neste ano. A meta era de 4,3.

No Ensino Fundamental inicial (do 1º ano ao 5º ano), a Bahia obteve uma melhora de 4,7 de Ideb em 2015 para 5,1 em 2017, batendo a meta projetada pelo Inep, de 4,4.

Brasil
Nacionalmente, a meta do Ideb apenas foi cumprida nos anos iniciais do Ensino Fundamental. No país, a meta estipulada era de 5,5 e alcançou 5,8.

No Ensino Fundamental inicial (5º ano), a Bahia obteve uma melhora de 4,7 de Ideb em 2015 para 5,1 em 2017, batendo a meta projetada pelo Inep, de 4,4. Já no Ensino Fundamental final (9º ano), o Ideb ficou estagnado. O índice de 3,7 obtido em 2015 se manteve neste ano. A meta era de 4,3.

No Ensino Médio, o índice avançou 0,1, chegando a 3,8. A meta era de 4,7.

Já nas anos finais do Ensino Fundamental, o índice alcançou 4,7, sem atingir a meta de 5 pontos. O país não atinge o esperado desde 2013.