Início Polícia Homem mata namorada, diz que ganhou na loteria e pede demissão

Homem mata namorada, diz que ganhou na loteria e pede demissão

Maria dos Santos Gaudêncio foi encontrada morta pela filha, dentro de casa, na noite de terça-feira (19), com um golpe na nuca

Um homem de 50 anos é o principal suspeito da morte da namorada de 52 anos. De acordo com o G1 Distrito Federal, a Polícia Civil considera a mensagem de WhatsApp enviada pelo cabeleireiro Antônio Pereira Alves como uma das principais pistas do crime.

Foto: Reprodução/Acervo Pessoal

Maria dos Santos Gaudêncio foi encontrada morta pela filha, dentro de casa, na noite de terça-feira (19), com um golpe na nuca.

Na segunda-feira (18), Alves pediu demissão dizendo que havia ganhado na loteria. Disse ao patrão que tinha deixado a chave de casa, doado as roupas e a máquina de cortar cabelo – e que iria embora. Após essa mensagem, o cabeleireiro não foi mais visto. O casal namorava há pouco mais de um ano e, segundo parentes, em entrevista ao G1, não tinham nenhum histórico de violência.

Foto: Reprodução

A polícia informou ainda ao portal que no sábado (16), um dia antes do crime, Alves pediu para “acertar o salário” com o dono do salão onde trabalhava. Ele teria dito que iria para a casa de um primo que havia morrido, em Goiás. No entanto, uma frase do cabeleireiro chamou a atenção.

Em outra mensagem enviada para o patrão, na segunda-feira – depois da morte de Maria – Alves mostra parte do suposto bilhete de loteria premiado. Ele explica que ainda não havia conferido o resultado do jogo feito na semana anterior.

A vítima morava com uma das filhas e descobriu o corpo. Na segunda-feira, após não ter dormido em casa no domingo, a filha de Maria viu que a porta do quarto da mãe estava trancada, mas disse que não tentou abrir.

Foto: Reprodução

A jovem disse ainda que na terça-feira foi para a aula e só voltou a noite. A casa estava do mesmo jeito, mas a jovem teria sentido um forte cheiro vindo do quarto e decidiu arrombar a porta. O suspeito Antônio Pereira Alves continua foragido.