Início Salvador Golfinho resgatado no Rio Vermelho morre e instituto suspeita que animal foi...

Golfinho resgatado no Rio Vermelho morre e instituto suspeita que animal foi espancado por humanos

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

O golfinho que foi batizado de Petra, resgatado da Praia da Paciência, no Rio Vermelho, na última quinta-feira (13/1), acabou não resistindo e morreu no Instituto Mamíferos Aquáticos (IMA) nesta segunda-feira (17/1).

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

O centro informou que ela estava desorientada e apresentava um quadro traumático, por isso estava sendo cuidada 24 horas pela equipe, mas não foi possível reverter o quadro.

“Tratava-se de uma fêmea juvenil, com boa condição corpórea, apresentando um quadro grave de desorientação e trauma em face e, atingindo o lado direito da mandíbula, maxila e olho, além de grave laceração na extremidade do rosto”, informou o instituto.

Assim que o golfinho foi encontrado na praia, leitores acionaram o Aratu On. O Grupamento Especial de Proteção Ambiental (Gepa), da Guarda Civil Municipal (GCM), conseguiu resgatá-lo com segurança.

Os profissionais levaram o animal até o IMA, que a identificou como uma golfinho femêa da espécie golfinho-de-Clymene (Stenella clymene) e nomeou-a como Petra.

O animal irá passar por uma necrópsia para identificar a causa da morte, mas os profissionais do instituto acreditam que, antes de ter sido resgatada, ela pode ter sido agredida. “A necropsia está sendo realizada para determinação mais precisa da causa, que pode estar associada a agressão humana”, diz a nota.

“Durante os últimos quatro dias a equipe não mediu esforços para a recuperação da Petra, se mantendo na piscina com o animal durante 24h por dia. Foram realizados diversos tratamentos de suporte, controle de dor, curativos e um rigoroso protocolo nutricional administrado por sonda gástrica, uma vez que o edema de língua impossibilitava a alimentação sólida. Por não conseguir manter o equilíbrio, estava realizando exercícios de estímulo em piscina rasa, minimizando o risco de afogamento. Petra foi a óbito durante a madrugada do dia 17, por síndrome de estresse, quadro comum em golfinhos em reabilitação, porém completamente assistida e medicada da melhor forma possível. Estamos orgulhosos da equipe IMA por todo carinho e cuidado dedicados ao animal, além da competência técnica para a manutenção por quatro dias de um quadro tão delicado”, ressalta o comunicado da ONG.

No domingo (16/1), o instituto chegou a fazer uma publicação pedindo doações para ajudar no tratamento dela. “Devido aos gastos muito altos trazidos pela reabilitação da Petra, estamos abrindo campanha de arrecadação para conseguirmos manter o trabalho. Seja nosso parceiro nessa luta! Aceitamos doações de qualquer valor (pix na Bio) ou de itens como insumos hospitalares, pomada Hipoglós ou Babymed, sardinhas inteiras congeladas, sal para piscina, alimentação para equipe, etc. Agradecemos a todos!”, pediu.

Quem quiser fazer doações ao instituto pode enviar pelo pix (71)99679-2383 ou deixar no local, mas sem visita aos animais. “O Centro de Reabilitação do IMA não é aberto a visitação por determinação prevista em legislação […] Trazer doações ao local não dá acesso a visita ao animal. Postaremos diariamente imagens e atualizações pra matar a curiosidade de todos!”, comentou o órgão, pelo instagram @imaquat. O espaço também está com vaga aberta para voluntários.

Com informações do Aratu ON