Início Destaque Flamengo x Uruburguer: dono de loja diz que clube poderia ter conversado...

Flamengo x Uruburguer: dono de loja diz que clube poderia ter conversado antes de ir à Justiça: ‘Tiraram nosso sustento’

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Diante da crise econômica causada pela pandemia da COVID-19, um casal em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, conseguiu o sustento da família graças à loja de hamburguer temática com o nome Uruburguer. No cardápio, homenagens ao Flamengo, Gabigol, Bruno Henrique e outros diversos fatos da história rubro-negra.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Só que o desespero tomou conta de Allex Martins e Roberta Martins. A loja foi derrubada do principal aplicativo de delivery há cerca de uma semana. De imediato, Alex foi procurar a razão. E, nesta quinta-feira (11), a confirmação veio: uma notificação extrajudicial do Flamengo. O clube se dizia prejudicado pela utilização de nomes como Flamengo, Mengão e Urubu sem a autorização.

No cardápio, até mesmo os sanduíches de nomes que já não estão mais no clube, como Gerson e Jorge Jesus, não foram perdoados. Abaixo, um trecho da notificação sobre a irregularidade de tais utilizações.

“Da mesma forma, além de utilizar referidas marcas, V. empresa vem adotando estratégia de veiculação de publicidades alusivas ao Clube, imagens de seus atletas e jogos oficiais, trechos de hinos e cânticos de torcidas, referências aos anos de conquista de títulos e eventos históricos, notícias relacionadas ao Clube, e outros elementos, tudo de forma não autorizada, e com o claro intuito de aproveitar-se da enorme fama do Notificante, visando a atração de clientes e consumidores ao seu empreendimento comercial”, dizia o trecho que o ESPN.com.br teve acesso.

Procurado pela reportagem, Allex admitiu que não sabia da ilegalidade ao utilizar o nome Uruburguer, Flamengo e Mengão e que deixaria de utilizar caso fosse contactado pelo Flamengo. Só que a notificação extrajudicial, de forma severa, causou espanto, o fez ‘perder a loja’ e o impediu de levar para casa o sustento da família.

“Por que não chegaram e falaram com a gente, entendeu? Dar a posição onde estávamos sendo abusivos. O nome não concordo que tenho que excluir, porque, como a advogada me falou, não existe a marca registrada (Uruburguer). Não teria problema. Mas me impedir de usar os lanches ‘oto patamar’, ‘gol do Gabigol’, ‘3 a 0 no Liverpool’ sendo que nem cita o nome clube”, disse Allex, para completar.

Allex e Roberta Martins sofrem com ação extrajudicial do Flamengo Arquivo Pessoal

“Poderia ter uma conversa antes da notificação extrajudicial fechar a loja. Podia ter sido conversado. Tiraram o nosso sustento. Qual o problema de usar 3 a 0 no Liverpool, dezembro de 81, Vapo Vapo, Cheirinho… qual o problema se nem cito o clube. Qual prejuízo isso causa ao Flamengo?”, finalizou.

Procurado pela reportagem, o Flamengo não respondeu. A matéria será atualizada assim que o clube se manifestar.

Com informações do ESPN