Início Salvador Falta de acordo entre sindicatos deixa incerta abertura de lojas de shopping...

Falta de acordo entre sindicatos deixa incerta abertura de lojas de shopping no próximo domingo (25)

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Por Eliezer Santos | BNews

A falta de acordo entre sindicatos de lojistas e comerciários mantém incerta a abertura de lojas do comércio de rua e de shoppings de Salvador no próximo domingo (25) e no feriado de 8 de dezembro.

De acordo com o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Alberto da Rocha Nunes, o imbróglio coloca em risco a previsão de aumento de 5% nas vendas em relação a dezembro do ano passado.

“Prejuízo muito grande para o comércio e para os funcionários. A abertura aos domingos representa um aumento de 20% no quadro de funcionários”, argumenta, ao citar que o funcionamento das lojas no próximo domingo ajudaria a impulsionar vendas do ‘Black Friday’ – que acontece na sexta-feira (25), mas se estende por todo o final da semana.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Uma audiência na 18° Vara no Tribunal Regional do Trabalho da 5° Região, no último dia 7, terminou sem definição porque o Sindicato dos Lojistas (Sindilojas) não enviou representante. Ao BNews, o presidente do Sindilojas, Paulo Motta, afirmou, à época, que “não tinha que comparecer porque não tinha o que conciliar”.

Na ocasião, o único acordo estabelecido foi entre a Federação do Comércio e o Sindicato dos Comerciários, com 2% para quem ganha acima do piso e 2,2% para quem ganha os pisos da categoria.

Segundo Alberto Nunes, a Federação “não representa nem 3% do comércio de Salvador”. Ele explicou ainda que o entrave persiste porque o Sindicato dos Comerciários quer que os lojistas mantenham a cobrança de contribuição sindical dos trabalhadores, o que contraria a nova os termos da nova legislação trabalhista.

“A CDL não tem interferência entre a negociação dos sindicatos, apenas acompanha”, pontuou Alberto, ao acreditar
Nos demais domingos do mês de dezembro e janeiro as lojas podem abrir sem a necessidade de acordo, conforme está previsto em lei municipal de 2006, como pontuou Alberto Nunes.