Início Notícias Ex-jogador do Atlético-MG e Grêmio é preso acusado de assaltar ônibus

Ex-jogador do Atlético-MG e Grêmio é preso acusado de assaltar ônibus

Foto e fonte: Bruno de Lima/O Dia

Com passagens por clubes como o Atlético-MG e Grêmio, Jorge Luiz Santos Ferreira trocou o futebol pelo mundo do crime.

Preso na tarde de terça-feira, acusado de ser um dos maiores assaltantes de ônibus intermunicipais e vans do Estado, Jorge Luiz Santos Ferreira, de 26 anos, poderia ter ficado famoso de outra forma, caso não entrasse para o mundo do crime. Com passagens por clubes como Grêmio, Atlético-MG e São Caetano, ele desistiu do futebol e passou assaltar passageiros em transportes públicos. Segundo a polícia, ele teria feito mais de 100 vítimas.

Jorge Luiz foi preso por policiais militares com uma moto sem documentação, em Manguinhos. Ao ser encaminhado para a 21ªDP (Bonsucesso), foi reconhecido pelos agentes como autor de diversos assaltos a ônibus na região da Avenida Brasil que já vinham sendo investigados. Segundo o delegado Delmir Gouvea, ele sempre pegava o ônibus na altura do Caju e descia no Complexo da Maré, onde reside. “A preferência dele era por ônibus intermunicipais, pois dificilmente ele encontraria moradores da Maré. Ele queria evitar roubar moradores dessa região porque ele é de lá”, diz.

O delegado afirma que existem registro que entre o final de janeiro e o início de fevereiro, Jorge Luiz assaltou nove ônibus. O criminoso, que tem um perfil violento, num dos assaltou bateu no rosto de uma vítima que estava dormindo. “A gente estava no encalço dele, já tínhamos imagens, mas ele não havia sido identificado. Nossa equipe estava na rua procurando por ele, e quando o policial voltou para a delegacia após ser detido pela PM, o reconheceu e efetuamos a prisão”.

Na delegacia, Jorge Luiz confessou os crimes e disse que em sua casa, na Nova Holanda, estava escondida a arma que ele utilizava nos assaltos. Chegando no local, ele tentou fugir pela comunidade, mas foi pegos pelos policiais. Na casa do criminoso foram encontrados documentos das vítimas.