Início Notícias Estudantes reclamam de dificuldades para fazer a inscrição no site do Fies

Estudantes reclamam de dificuldades para fazer a inscrição no site do Fies

Alunos dizem que sistema para pedir financiamento aponta erro.
Segundo MEC, alta procura causa instabilidade no sistema.

Alanna Barros não consegue acessar sistema do Fies porque mensagem indica erro (Foto: Arquivo pessoal/Alanna Barros)
Alanna Barros não consegue acessar sistema do Fies porque mensagem indica erro (Foto: Arquivo pessoal/Alanna Barros)

Estudantes que buscam o financiamento do governo para cursos de graduação em faculdades particulares reclamam da dificuldade em acessar o sistema online do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) no site sisfiesportal.mec.gov.br. O sistema foi reaberto na tarde desta segunda-feira (23) para novos contratos e poderá ser acessado até o dia 30 de abril. Segundo o Ministério da Educação, a alta demanda tem provocado a instabilidade no sistema de inscrição.

O Fies paga de 50% a 100% da mensalidade de faculdades particulares, dependendo da renda da família. Os pedidos ao programa de financiamento podem ser feitos em qualquer época do ano.

Site do Fies aponta erro no cadastro do número de celular de estudante (Foto: Reprodução/Fies)
Site do Fies aponta erro no cadastro do número de celular de estudante (Foto: Reprodução/Fies)

Alanna Barros, estudante de Ananindeua (PA), não conseguiu efetuar o seu cadastro para pedir o financiamento de 100% da mensalidade do curso de enfermagem da Universidade da Amazônia (Unama). “Na hora que eu tinha de preencher o número de celular dá erro e não consigo mais prosseguir”, disse Alanna.

A jovem pagou a matrícula na faculdade e recebeu da instituição um prazo de 45 dias para se inscrever no programa e levar para depois levar os documentos do Fies para a faculdade. A mensalidade do curso de Alanna é de R$ 1 mil.

Najara Rodrigues, de 23 anos, de São Paulo, também não conseguiu fazer a sua inscrição no Fies. A caloura de odontologia da Universidade Anhanguera também pleiteia um financiamento de 100% da mensalidade de R$ 1,1 mil. “Toda vez que é para finalizar o cadastro dá erro na página”, afirma.

Procuradas pelo G1, as assessorias de imprensa do FNDE e do MEC afirmaram que o site encontra instabilidade por causa do grande número de acesso e reforçaram que o aluno tem até o dia 30 de abril para fazer a sua inscrição no Fies. Casos mais pontuais podem ser solicitados no telefone 0800-616161.

Utilização acima da meta
A taxa de utilização do Fies em 2014 ficou em 39,27%, muito acima da meta que havia sido estipulada pelo governo federal em seu painel de gestão para o ano, que era de 15%. É o que aponta o relatório publicado nesta terça-feira (24) no “Diário Oficial da União” pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Em portaria de 2013, o Ministério da Educação esclareceu que a taxa de utilização do Fiesx mede a quantidade de contratos em utilização do programa sobre o número de matrículas em instituições do ensino superior privadas.

O governo federal divulgou neste ano uma série de novas regras para a concessão do financiamento estudantil, como nota mínima no Enem e impossibilidade de zerar a redação, em meio a esforços adotados em diversas frentes para arrumar as contas públicas.

Arte Fies (Foto: G1)

Na segunda-feira (24), o site para inscrições no Fies foi reaberto e passou por períodos de instabilidade devido à alta demanda. As inscrições para o programa poderão ser feitas até 30 de abril.

Associações de empresas do setor esperam pedidos de cerca de 500 mil estudantes no primeiro semestre deste ano. Em 2014, o desembolso do Fies chegou a quase 14 bilhões de reais para 1,9 milhão de estudantes, segundo dados do FNDE.

Para as mensalidades de faculdades que podem participar do Fies, o Ministério da Educação (MEC) determinou reajuste máximo de 6,4%, correspondente à inflação medida pelo IPCA no ano passado.

Já para o cronograma de pagamentos às instituições, o MEC delimitou na segunda-feira que a diminuição do repasse para 8 meses por ano ante 12 meses anteriormente valerá apenas para 2015.

 

Fonte: G1