Início Bahia Estado da Bahia tem até 10 de abril para fornecer alimentação aos...

Estado da Bahia tem até 10 de abril para fornecer alimentação aos estudantes da rede pública

Estado da Bahia tem até 10 de abril para fornecer alimentação aos estudantes da rede pública 1

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), por meio do presidente, desembargador Lourival Trindade, manteve decisão da 6ª Vara da Fazenda Pública, obrigando o Estado a fornecer merenda escolar aos estudantes durante o período de pandemia causado pelo novo coronavírus.

Na decisão de primeiro grau ficou determinado que o governo deveria providenciar “o fornecimento da alimentação a todos os alunos da rede pública estadual, que tiveram as aulas suspensas (…) independente de as famílias serem beneficiárias de programas de transferência de renda e estarem em determinados cadastros, sob pena de multa diária de R$ 100 mil”.

O pedido liminar foi feito pela Defensoria Pública da Bahia (DPE-BA) foi rebatido pelo Estado sob o argumento de que, o fornecimento de alimentação aos estudantes poderia levar a uma crise tanto na saúde quanto à economia pública, uma vez que “o custo necessário para o desempenho da logística e o deslocamento dos alimentos às cerca de 800 mil residências nas partes mais diversas do Estado seria infinitamente maior do que o gasto efetivamente destinado à aquisição dos produtos em si”.

Ainda de acordo com a defesa do Estado, a responsabilidade de fornecimento de merenda/alimentação aos estudantes da rede pública estadual é do governo federal, por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

O desembargador, por sua vez, ao negar o pedido de suspensão da liminar, afirmou que “ para inúmeras famílias carentes, de todo o Estado da Bahia, a merenda escolar constitui o único modo de efetivar, em grau mínimo, o direito à alimentação, constitucionalmente, assegurado, portanto, subtrair destas crianças e adolescentes o pré-aludido direito, significaria negar-lhes acesso ao meio de efetivação de sua sobrevivência e dignidade”.

Desta forma, o presidente Lourival Trindade manteve decisão liminar que obriga do Estado da Bahia a fornecer, na forma que julgar mais convencional, alimentos aos estudantes das escolas públicas estaduais. O desembargador fixou o dia 10 de abril como prazo para o cumprimento da decisão.