Início Salvador “Eram humilhados, abusados, explorados sexualmente”, diz delegada sobre vítimas de treinador de...

“Eram humilhados, abusados, explorados sexualmente”, diz delegada sobre vítimas de treinador de futebol preso em Salvador

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

A titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), Simone Moutinho, disse que o caso do treinador de time de futebol que foi preso nesta quinta-feira (19) por abuso sexual e corrupção de menores, em Salvador, envolveu o resgate de jovens que eram “humilhados, abusados, explorados sexualmente”. Até o momento, 11 vítimas foram contabilizadas. Mas existe a possibilidade de o número ser ainda maior, pois o suspeito trabalha no local há mais de 10 anos, explica a delegada. Os adolescentes faziam parte de um time de Cajazeiras.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

“O trabalho de investigação e a prisão envolveram várias mãos. O que a gente viu é algo muito triste. A gente tem dimensão de outras vítimas, diante do que foi coletado do material apreendido, celulares, computadores”, disse Moutinho.

Segundo a delegada, a Dercca fez o encaminhamento das vítimas para o setor psicossocial e depois para os seus lares, mas o trabalho de acompanhamento psicológico continua. “Aqueles que tinham pais, foram entregues aos pais. Aqueles que ficavam nos alojamentos, mais vulneráveis, estão sob a proteção da rede”, acrescentou a delegada.

A delegada afirma que o suspeito foi preso em flagrante por estupro, corrupção de menores, além de responder pelo armazenamento e transmissão de material pornográfico dos menores, com cenas de nudez.

“Ele tinha o mandado de prisão temporária. E quando a gente foi cumprir o mandato, ocorreu o flagrante do indivíduo com o material pornográfico das vítimas. Com isso, fizemos a prisão em flagrante e solicitamos a mudança para a prisão preventiva. Estamos aguardando a decisão da Justiça”, disse a delegada.

Os cumprimentos dos mandados de prisão e busca e apreensão fazem parte de mais uma etapa da Operação Flor Lótus, deflagrada pela Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra a Crianças e o Adolescente (Dercca), em alusão ao mês de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A ação contou com apoio de policiais da delegacia especializada e da Coordenação de Operações Policiais (COP), do Departamento de Polícia Metropolitana (DEPOM).

Com informações do BNews