Início Famosos Em depressão, MC Beijinho recebe R$ 500 mensais por hit e passa...

Em depressão, MC Beijinho recebe R$ 500 mensais por hit e passa dificuldades

Por Correio da Bahia

MC Beijinho falou sobre momentos de dificuldade (Foto: Betto | Jr. | CORREIO)

Ítalo Gonçalves da Conceição, 20 anos, que ficou famoso como MC Beijinho, chegou à redação do CORREIO agitado. Acompanhado de dois advogados e da mãe, ele andava rápido. Cumprimentou a reportagem olhando pra baixo, com um sorriso de canto de boca. Usava um colete, calça jeans e uma camisa que combinava com o chapéu verde cana. Uma corrente de prata grossa completou o look, escolhido especialmente para a ocasião.

Quando começa a entrevista, ele se cala. Tem dificuldade de responder às perguntas e, por vezes, se levanta da cadeira. O silêncio só é quebrado em dois momentos: o primeiro, quando o telefone tocou, e o segundo, quando o assunto foi música. Aí Ítalo se transformou de fato em MC Beijinho.

“Véi, sou cantor. Até Caetano Veloso já cantou minha música. É linda a letra, você já ouviu?”, questionou.

Os minutos passam e Ítalo só volta a falar quando a mãe, Lindinalva Gonçalves, interferiu na tentativa de bate-papo. “Ele tá assim agora, não quer falar nada. Só falava antes, quando estava na mídia, porque tinha um monte de gente do lado”, tentou explicar.

O silêncio, justificado por Lindinalva, vem desde que o sucesso acabou, logo após o Carnaval de 2017. Desde então, Beijinho entrou em depressão.

“Ficou um ano triste, no quarto. Comia e bebia dentro do quarto. Foi horrível, porque acabou a vida do meu filho”, comentou ela.

Esse ano, por exemplo, Ítalo sequer participou do Carnaval. Ele até tentou se eleger como Rei Momo, mas não deu certo. “Ele queria participar das festas, mas, como não foi chamado pra nada, tentou o concurso”, completou a mãe.

Mesmo estando há meses sem compor uma música, quando perguntado sobre sua atual profissão, fez questão de reforçar: “Sou MC Beijinho. Às vezes eu começo a compor, e não termino, mas fica tudo aqui dentro da minha cabeça”, declarou.

A única coisa que sobrou da música Me Libera Nega, composta por ele e cantada por grandes artistas no ano passado, foi um valor mensal de menos de R$ 500, utilizado nas despesas da casa, onde mora com a mãe e irmãs, no bairro de Itapuã.

Além da saudade de cantar, Beijinho diz que sente saudades da época do sucesso.

“Eu queria voltar à fama. É bom ser reconhecido, porque as pessoas passam a te respeitar e a te chamar pelo nome bonito, que é MC Beijinho”, comentou.

Será que vão liberar o nego?
A fama de Ítalo veio através de um caso de polícia. É que ele ficou conhecido depois de ser acusado de roubar celulares de transeuntes no bairro de Piatã. Durante a abordagem da polícia, após o crime, Ítalo começou a cantar a música que viraria hit – Me Libera Nêga tinha sido composta meses antes.

O caso ganhou repercussão nas redes sociais e depois na imprensa e, com as gravações, nasceu MC Beijinho, que virou sucesso nacional com uma das músicas mais executadas do Carnaval 2017.

Mas a fama passou e, agora, Ítalo vai ser julgado pelo crime. Ele diz que não sente medo e que pretende falar a verdade ao juiz.

“Não me importa o que aconteceu naquele dia [do crime]. Foi uma confusão, na verdade. E eu vou explicar tudo ao juiz para que as pessoas me olhem com outros olhos”, adiantou ele.

Defesa de Ítalo, o advogado Rogério Matos diz que o cliente usou o momento do flagrante para expor a música. “Ele foi muito sagaz, porque utilizou a situação para apresentar a música à imprensa”, analisou.

Matos também nega que o cliente tenha cometido o delito. “A tese da defesa é que os fatos que foram denunciados não correspondem à realidade”, afirmou. A defesa diz ainda que vai pedir absolvição de Ítalo. “É bem claro que não se trata de um criminoso. Ele não tem o menor potencial para cometer um delito daquele tipo. Nossa expectativa para o julgamento é a melhor possível”, completou.

(Foto: Betto Jr. | CORREIO)

Inspiração
MPB, rock e rap. Esses são os estilos preferidos de MC Beijinho. Ele diz que não “curte muito pagode” e que a inspiração vem de si mesmo, apesar de adorar Caetano Veloso.

Por falar no precursor da Tropicália, Beijinho compôs uma canção para ele e adiantou parte da letra ao CORREIO. Tá Faltando Respeito é o nome da canção, que, por enquanto, vem sendo ignorada por Caetano.

Veja abaixo alguns dos versos:

“Tantas pedras no caminho. Venha Deus nos ajudar.
Evita dessas guerras e vem o amor pra me agarrar.
Me abalou, olha como eu estou.
Tá faltando respeito, tá faltando respeito.
Teu jeito de amar…”