Início Camaçari Em 24 horas chove em Camaçari o esperado para dois meses; 38...

Em 24 horas chove em Camaçari o esperado para dois meses; 38 ocorrências foram registradas

Em 24 horas chove em Camaçari o esperado para dois meses; 38 ocorrências foram registradas 1
Avenida Jorge Amado alagada nesta terça-feira. Foto: Leitor

As fortes chuvas que caíram sob Camaçari nesta terça-feira (26) deixaram uma série de estragos na cidade. Em apenas 24 horas, a Defesa Civil confirma que foram registradas 38 ocorrências, tanto na sede quanto na orla do município.

Somente ontem quatro árvores de grande porte caíram, ruas foram interditados e ficaram alagadas, assim como houve registro de casas alagadas. “Só ontem choveu 180 mm. A chuva que é para dois meses caiu em 24 horas”, fala o coordenador da Defesa Civil de Camaçari, Ivanaldo Soares.

A Rua do Sucupió, em Vila de Abrantes, por exemplo, teve que ser interditada, já que uma enorme cratera se abriu.

Em 24 horas chove em Camaçari o esperado para dois meses; 38 ocorrências foram registradas 2
Cratera na Rua do Sucupió, em Catu de Abrantes. Foto: Defesa Civil

Um muro corre risco de desabar no Residencial Camaçari e no Parque Verde II, o muro de uma escola desabou na manhã de hoje (27). Também no Parque Verde II, a ponte teve que ser parcialmente interditada, pois a água derrubou a lateral da estrutura.

De acordo com Ivanaldo, a Defesa Civil segue em estado de alerta e estará nas ruas hoje fazendo vistoria e monitoramento. “Alerto a população que evite estacionar carros embaixo de árvores, rede elétrica. Se estiver em casa e perceber que a água já está na cintura, saia da residência e ligue para o 199”, orienta.

Para esta quarta-feira, há 50% de chance de chuva e o volume previsto é de 50 mm. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o mal tempo deve permanecer até esta quinta-feira (28), céu com muitas nuvens, ventos fracos e temperatura variando entre 24°C e 28°C.

Veja vídeos: (Lembrando: NÃO JOGUE LIXO NO CHÃO! Umas das causas de alagamentos é o lixo que jogam no chão)

Com informações do Nossa Metrópole