Início Brasil Deputada Flordelis afirma que a filha Simone mandou matar pastor Anderson

Deputada Flordelis afirma que a filha Simone mandou matar pastor Anderson

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE
Crédito da Foto: TV Globo

A pastora e deputada federal Flordelis, acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, afirmou que a filha Simone foi a responsável por chefiar a execução do religioso. Ele foi morto em junho de 2019, na garagem da casa onde morava com a mulher e os filhos. A declaração foi dada em entrevista ao programa Conversa com Bial, que foi ao ar nesta quinta-feira (25/3).

Na conversa, Flordelis tentou explicar as contradições e os fatos que fizeram o Ministério Público do Rio de Janeiro considerá-la a mentora do crime. Ela também deu sua versão para a trama familiar que explicaria por que duas filhas do casal tinham motivações para matar Anderson.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

De acordo com a congressista, Simone sofria abusos e violência sexual. “Além de estar com câncer, sofrendo com câncer, ela carregava isso sozinha, em silêncio, esses assédios, esses estupros. Ela carregava sozinha, Bial. Não estou defendendo ela, porque não concordo com o que ela fez. Eu discordo 100%. Ela não podia ter feito isso, não é matando que resolvemos os problemas”, afirmou Flordelis.

A advogada de Simone disse que sua cliente assumiu ser a mandante do assassinato. No entanto, a acusação diz que as declarações de Simone não são suficientes para determinar que ela é a autora do crime.

Simone é uma das filhas acusadas do assassinato, ao lado de Flávio, Lucas, Marzy, Adriano, André e Carlos, além da neta Rayane. Todos estão presos. Já Flordelis tem imunidade parlamentar por ser congressista. Ela, no entanto, responde a um processo no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, que pode fazê-la perder o mandato.

Com informações do Aratu ON