Início Destaque Dancinha do Carpinteiro – A história do clássico de Woodstock que virou...

Dancinha do Carpinteiro – A história do clássico de Woodstock que virou meme

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

As redes sociais são o universo dos “memes”. De tempos em tempos surgem novos e pitorescos personagens, lutando pelos seus 15 minutos de fama. O mais recente deles é o Youtuber Orlandinho, intitulado o “rei do piseiro”. O jovem de 22 anos, natural de Salgueiro, Pernambuco, viralizou no Instagram com uma coreografia diferente e engraçada da música “O Carpinteiro”, regravada no início deste ano pelo seresteiro maranhense Elias Monkbel.

O que a grande maioria dos seguidores do influencer não sabiam é que a versão da música, que explodiu em todos os cantos do Brasil, na verdade foi composta nos Estados Unidos. O cantor americano Tim Hardin frequentava a cena alternativa do Village, em Nova York, e tinha como amigos nomes como Bob Dylan e Jimi Hendrix.

Em 1967, Tim lançou o folk sofrido “If I were a carpenter”. Foi inclusive uma das músicas que ele cantou no épico festival de Woodstock, o ápice da contracultura em 1969. A faixa virou um clássico nos EUA, e foi regravada por vários artistas como Johnny Cash, Joan Baez, Dolly Parton, Robert Plant, Johnny Rivers e o próprio Bob Dylan que, por sinal, se referia ao parceiro Tim como “o maior compositor americano vivo”.

No Brasil, no auge do movimento da Jovem Guarda, o cantor Ronnie Von gravou, também em 67, uma versão em português da canção. “O Carpinteiro” tem letra assinada por Antonio Carlos Wallace Duncan Junior, e mantém a ideia original de um pobre trabalhador apaixonado por uma mulher rica.

A força do meme e o resgate do sucesso

O trabalho de Orlandinho como influencer não é tão recente. Em 2019 ele passou a se destacar nas redes sociais com suas danças empolgadas ao som do ritmo do “piseiro” uma espécie de forró acelerado executado no teclado. À época ele já contabilizava cerca de 370 mil seguidores no Instagram.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Mas foi há cerca de um mês que o influenciador extrapolou todas as métricas da plataforma digital. O estilo de velhinho, as calças na pegada “santropeito”, a cara séria, a balançada no quadril, o ombro para frente e o dedinho para cima marcam a dancinha ao som de “O Carpinteiro”. O vídeo, feito com a ajuda de mais dois amigos, mais parece uma paródia, um contraponto suave às danças frenéticas do TikTok.

Em pouco tempo o vídeo alcançou mais de 15 milhões de visualizações, uma infinidade de compartilhamentos e hoje Orlandinho tem mais de 2,5 milhões de seguidores.

Se a versão dos anos 60 despertou atenção de diversos artistas da época, a versão 2021 de Elias Monkiel potencializada na força do meme de Orlandinho, também atraiu muita gente grande. Ivete Sangalo, Wesley Safadão, Mano Walter, Tirulipa, Leo Santana, Rodrigo Faro e muitos outros famosos e anônimos entraram na onda na dancinha. Agora a luta dos novos queridinhos da internet é manter o ciclo viral, para ir além dos 15 minutos de holofotes.

Confira o clipe oficial da música, na versão de Elias Monkbel e a participação de Orlandinho e seus amigos.

E agora , que tal ouvir a versão original, na voz de Tim Hardin???