Início Brasil Correios encerram greve e voltam ao trabalho nessa quarta-feira (14)

Correios encerram greve e voltam ao trabalho nessa quarta-feira (14)

Por Simões Filho Online

Funcionários que entraram em greve por serem contra as mudanças no plano de saúde da empresa (Foto: Reprodução)

Segundo comunicado divulgado na noite desta terça-feira (13/3) no site oficial da Estatal, a greve dos funcionários dos Correios foi encerrada na maior parte do país.Os funcionários que entraram em greve por serem contra as mudanças no plano de saúde da empresa, que preveem o pagamento das mensalidades pelos funcionários e a retirada de dependentes dos contratos já estão de volta ao trabalho.

Segundo os Correios, 24 dos 32 sindicatos de trabalhadores que haviam aderido à paralisação iniciada na noite de domingo (11/3) decidiram encerrar o movimento. Outros 4 sindicatos não paralisaram as atividades e cerca de 96,5 mil empregados (o equivalente a 91% do efetivo total dos Correios) já estão trabalhando normalmente.

A estatal informou ainda que na tarde da última terça-feira (13/3), o Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou a manutenção de efetivo mínimo de 80% dos trabalhadores em cada unidade. Em comunicado, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) disse que orientou pela volta ao trabalho nesta quarta-feira (14/3), mantendo o estado de greve.

Siga nosso Instagram: @seligacamacari | Confira as vagas de emprego: VagasEmCamaçari | VagasBahia

Em nota publicada em sua página oficial a Fentect informou que as medidas adotadas pela direção da estatal demonstram a intenção clara de privatizar os Correios e Toda a postura da gestão da estatal demonstra a incompetência administrativa, na tentativa de acabar com o caráter social da empresa, buscando a sustentabilidade com base apenas no lucro. Enquanto isso, estão precarizando os Correios, sem investir em mais empregos, promovendo demissões incentivadas e sobrecarregando quem se encontra na ativa.

Sobre as mensalidade do Plano de Saúde

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) julgou, na segunda-feira (12/3), o dissídio coletivo ajuizado pelos Correios, que tinha como tema central o custeio do plano de saúde dos empregados da estatal. Por 6 votos a 1, a corte aprovou proposta que prevê, entre outros pontos:

– Cobrança de mensalidade de empregados e seus dependentes, conforme faixas etária e remuneratória;
– Manutenção do plano de saúde para todos os pais e mães até 31/7/2019; após esse período, ficam assegurados os que estiverem em tratamento médico hospitalar, até a alta médica, conforme as regras da ANS;
– A partir de agosto de 2019, pais e mães poderão ser incluídos em plano família a ser criado;
– Proporcionalidade de pagamento das despesas totais, sendo 30% para os empregados e 70% para os Correios;
– Havendo lucro líquido no exercício anterior, a empresa reverterá 15% para o custeio das mensalidades dos beneficiários.