Início Mundo CORONAVÍRUS: Itália sofre epidemia de suicídios e depressão com sensacionalismo das informações

CORONAVÍRUS: Itália sofre epidemia de suicídios e depressão com sensacionalismo das informações

CORONAVÍRUS: Itália sofre epidemia de suicídios e depressão com sensacionalismo das informações 1
Foto: Piero CRUCIATTI/AFP

Na cidade italiana de Pávia, um homem de 65 anos, hospitalizado por broncopnemonia, ainda aguardava o resultado do teste que diria se ele tinha ou não o COVID 19, quando repentinamente jogou-se da janela do quarto do hospital em que estava sendo tratado. A divulgação constante do crescente número de mortos está fazendo os italianos viverem uma epidemia de suicídios e tentativas.

Este é um dos resultados da cobertura jornalística que prioriza a contabilidade dos mortos, seguida pelas autoridades. Ao mesmo tempo, poucos se preocupam em divulgar a taxa de recuperações observada no país. A Defesa Civil divulgou que a quantidade de pessoas recuperadas não para de subir. Em um único dia, 646 se recuperaram, chegando a 13.030 desde o início da epidemia.

A informação foi divulgada pelo jornal italiano La Nuova Bussola Quotidiana e traduzido no jornal Gazeta do Povo, no dia 26 de março.

“Uma enfermeira de 49 anos, que estava em isolamento domiciliar havia dois dias, ainda esperando o resultado do teste e assintomática, não foi capaz de lidar com a tensão extrema e se suicidou ao lançar-se no rio Piave”, disse a notícia.

O jornal italiano critica o pânico gerado pela forma como as informações têm sido disseminadas.

“A população do país não foi preparada para afrontar a epidemia, não foi adequadamente formada e informada. Assim, quando já era tarde demais, preferiu-se disseminar o terror. As imagens dos pacientes entubados nas unidades de terapia intensiva, as imagens dos caixões empilhados e caminhões militares foram e são funcionais para um objetivo específico: assustar da maior forma possível as pessoas para constrangê-las à obedecer às ordens do governo. Mas esse medo tem consequências tremendas: leva em primeiro lugar à depressão, que é uma condição psicológica que – como demonstraram numerosos estudos – tem um efeito nocivo sobre o sistema imunológico e sobre as defesas do organismo no confronto de infecções.”

Esta situação de profundo terror causado pela exposição a informações hostis também provoca quedas imunológicas e diversos problemas de saúde.

É o que mostra o estudo da Universidade de Trondheim, na Noruega, que demonstrou conexão entre depressão e outras patologias com as inflamações e até infecções crônicas, distúrbios autoimunes, muitos tipos de câncer, além de Alzheimer e a esclerose múltipla. Estes problemas, diz o estudo, estão todos associados à depressão.

“A incidência de depressão é três vezes maior em quem tem doença cardíaca coronariana do que na população em geral, e 20-50% das mortes por infarto do miocárdio ocorrem no paciente deprimido”, diz o estudo.

Não é só a Itália que está vendo este fenômeno crescer. O ministro das Finanças de Hesse, na Alemanha, Thomas Schaefer, cometeu suicídio, informou o primeiro-ministro do estado alemão, Volker Bouffier. Seu corpo foi encontrado no sábado, próximo a uma via férrea.

Com informações do estudosnacionais.com