Início Esportes Contestado após empate, Tiago Real é o que mais jogou pelo Bahia...

Contestado após empate, Tiago Real é o que mais jogou pelo Bahia em 2015

Dos 49 jogos oficiais do Bahia no ano, Real foi titular em 44. Jamais foi substituído. Nunca foi substituído

Tiago Real é o que mais jogou pelo Bahia em 2015 (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação EC Bahia)

Todo treinador tem o seu “homem de confiança”. No Bahia, ele atende pelo nome de Tiago Real. O jogador se mantém como titular absoluto do time de Sérgio Soares desde a estreia oficial tricolor na temporada, na derrota para o Vitória da Conquista por 2×0, no dia 1º de fevereiro.

Daquela escalação, apenas ele e Kieza se mantêm na considerada equipe base. Todos os setores passaram por mudanças, jogadores foram sacados e já retornaram à condição de titular, mas Tiago seguiu intocável e insubstituível.

Dos 49 jogos oficiais do Bahia no ano, Real foi titular em 44. Jamais foi substituído. Começou no banco de reservas uma vez, no empate em 0x0 com o Luverdense, pela Copa do Brasil, e entrou no decorrer da partida. Não sofreu nenhuma lesão e, na Série B, participou de todo o primeiro turno. Essa confiança tem justificativa, pelo menos para o comandante Sérgio Soares.

“Tiago é um atleta que se cuida bastante, teve boa performance durante a temporada. Substituição é inerente ao jogo, dentro da necessidade. É  um jogador versátil, pode jogar de lateral, de segundo volante, então a gente tem a possibilidade de variar com ele dentro do campo e por isso não houve a necessidade de tirá-lo e sim de mudá-lo de posição”.

Os números não condizem com  a “boa performance” atestada por Soares. É verdade que Tiago, por muitas vezes, atuou de forma mais recuada. No entanto, meia de origem, deu apenas uma assistência em 2015. Num breve comparativo, o meia Eduardo, em 10 jogos, já soma seis passes diretos para gol.

Como trunfo, Tiago Real tem feito gols. Na Série B, é o vice-artilheiro do time, com dois marcados, um a menos que Maxi, com três. A capacidade física também já foi comprovada pelo preparador Reverson Pimentel, com quem trabalhou também no Joinville. A distância percorrida por ele a cada jogo geralmente é superior à dos demais jogadores.

Se rendeu Ao final do empate em 1×1 com o Atlético Goianiense, na noite de sexta, o técnico Sérgio Soares admitiu que deveria ter substituído Tiago Real. Os 3.990 minutos completados pelo meia só não foram interrompidos devido às circunstâncias do jogo.

“Hoje (sexta) Tiago não foi bem, teria que trocá-lo, mas dentro de uma situação fiquei de mãos atadas para trocar. Reconheço que a alteração tinha que ser feita, mas dentro do que aconteceu no jogo não foi possível”, afirmou Soares, referindo-se à lesão de Yuri ainda no primeiro tempo e à certeza de que Zé Roberto, voltando de lesão, não suportaria o jogo inteiro – o técnico já havia substituído Eduardo.

Como a partir de quarta  o tricolor vai se dividir entre Série B e Sul-Americana, a possibilidade de haver mudanças no time, principalmente no jogo de volta contra o Sport, dia 26, em Recife, é grande.

*Correio da Bahia