Início Futebol Conmebol aperta cerco contra transmissões piratas de jogos de futebol; Brasil é...

Conmebol aperta cerco contra transmissões piratas de jogos de futebol; Brasil é um dos principais alvos

Conmebol aperta cerco contra transmissões piratas de jogos de futebol; Brasil é um dos principais alvos 1
Crédito da Foto: reprodução / youtube

A Conmebol pretende apertar o cerco contra as transmissões piratas online das competições que organiza. A entidade acertou para este ano parceria com a Irdeto, empresa holandesa especializada em segurança digital, e tem o Brasil como um dos principais alvos. Segundo números da Polícia Civil e do Ministério da Justiça e Segurança Pública de São Paulo, os sites de streaming ilegal tiveram cerca de 122 milhões de acessos somente no último trimestre do ano passado no País. Não há ainda um estudo detalhado das transmissões piratas apenas para o futebol.

No ranking da América Latina, o Brasil ficou em quarto lugar entre os países que mais consomem conteúdo pirata, segundo pesquisa realizada em 2017 pela Irdeto, que ouviu 25 mil pessoas em 30 países pelo mundo. De acordo com a empresa, 61% dos brasileiros admitiram já ter acessado conteúdo ilegal. A Colômbia (77%) encabeça a lista, seguido por México (75%) e Argentina (67%).

A Copa Libertadores, principal competição entre clubes da Conmebol, é transmitida para mais de 180 países pelo mundo. A parceria da entidade sul-americana tem por objetivo combater somente a redistribuição pirata online. Não inclui, por exemplo, a detecção das transmissões ilegais de TV por assinatura – aquelas em que o aparelho é comprado ilegalmente e disponibiliza sinais de diversos canais.

“Monitoramos a redistribuição ilegal de conteúdo, basicamente voltado para onde estão os maiores volumes, sites onde existem grande potencial de views”, explicou ao Estado o diretor de vendas da empresa, Gabriel Hahmann.

Na ação da Irdeto, o site não é derrubado. Por meio de inteligência artificial, a empresa monitora na internet os locais onde estão sendo feitas as transmissões ilegais e notifica a empresa para remoção do conteúdo. Hahmann explicou que na grande maioria dos casos os sites utilizam das principais redes sociais, como Youtube, Instagram e Facebook, para fazer a transmissão ilegal. O site apenas embeda o link do jogo ao vivo em sua página.

com informações do Terra