Início Destaque Com histórico de agressão, médico é preso por espancar a companheira em...

Com histórico de agressão, médico é preso por espancar a companheira em bairro nobre de Salvador; ele tem 30 mil seguidores nas redes

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Um médico ortopedista identificado como Daniel Sadigursky foi preso em flagrante suspeito de agredir a companheira dentro de casa em Salvador. O caso aconteceu durante o último sábado (4/12), no bairro do Itaigara.

A Polícia Civil não deu o nome do suspeito, mas confirmou que um homem foi apresentado na Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), no bairro de Brotas, por uma guarnição da 35ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Caminho das Árvores), depois da agressão.

Ainda segundo a Polícia Civil, a ocorrência foi tipificada como lesão corporal e o rapaz foi autuado em flagrante. Na unidade ainda foram expedidas as guias para os exames periciais e realizada a oitiva da vítima.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Após passar por audiência de custódia, porém, o Tribunal de Justiça da Bahia solicitou fiança de R$ 60 mil para a liberação do médico, mas ele pagou R$ 2 mil e acabou sendo solto. Ele deve responder ao processo em liberdade.

Daniel é especialista em pé e tornozelo. Somente no Instagram, que está com a conta privada, o ortopedista conta com quase 30 mil seguidores.

OUTRA OCORRÊNCIA

Apuração da reportagem do Aratu On revela que essa não é a primeira vez que o médico é acusado de ter espancado a vítima.

Em um Boletim de Ocorrência, aberto por A.C.M da S.F no ano de 2020 também na Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), ela acusa Daniel de agressão por esganadura, que não tinham lesões aparentes, e xingamentos.

Ainda no seu relato, a mulher sustentou que começou uma discussão após flagrá-lo trocando mensagens e fotos com outras pessoas. Ela argumentou ainda que sua filha teria filmado todo o ocorrido. No documento, A.C.M da S.F deixou claro que tinha um relacionamento de 10 anos com o ortopedista, mas somente em 2019 resolveram morar juntos.

Com informações do Aratu ON