Início Tecnologia Cilada no WhatsApp: criminosos clonam contas e aperfeiçoam golpes

Cilada no WhatsApp: criminosos clonam contas e aperfeiçoam golpes

Candidate-se nas vagas de emprego em Camaçari: vagasemcamacari.com

Cilada no WhatsApp: criminosos clonam contas e aperfeiçoam golpes 1

Não faz muito tempo, bastava chegar o mês de dezembro, para crescer os relatos de pessoas que recebiam a ligação de um suposto amigo ou parente pedindo uma transferência bancária de última hora para socorrê-lo em uma emergência. No afã de resolver a situação, a vítima depositava o dinheiro, que acabava indo para uma conta laranja.

Com o crescimento do uso de smartphones, e a identificação da origem dessas ligações, o golpe mudou um pouco de cara. Agora, os bandidos têm preferido abordar as vítimas por mensagem de Whatsapp.

É através do aplicativo de mensagens que eles pedem a transferência. Com a foto e o nome da pessoa salvo em sua agenda, fica mais difícil suspeitar de que a conta do seu contato foi clonada, e de que se trata de um golpe.

ligação combinada

Assim como antes, a ligação continua sendo muito utilizada, mas a conversa nunca envolve dinheiro – o que ajuda a despistar aqueles que já estão mais atentos diante dos relatos – e quase sempre é combinada com o envio de uma SMS. Foi assim com o diretor artístico Elísio Lopes Jr., que teve sua conta de Whatsapp invadida depois de receber a ligação da produção de um ator amigo.

“Do outro lado da linha, diziam que ele estava fazendo uma festa, e que queria muito me convidar. Eu disse que estava viajando, que não conseguiria ir, mas a pessoa disse que mandaria um convite porque se eu quisesse ter acesso ao evento, aquela era a senha. Aí perguntou se eu tinha recebido um código, que aquele era o número do convite, e que eu precisava dizer para ela colocar no controle dela. Quando eu confirmei o número que veio na mensagem, eu percebi na hora que tinha alguma coisa errada e desliguei. Foi simultâneo, e na mesma hora meu Whatsapp saiu do ar“, relembra Elísio, que ficou mais de uma semana sem acessar sua conta.

Para avisar aos amigos que teve a conta invadida, postou mensagens nas redes sociais, e confirmou a quem ligou suspeitando que se tratava de um golpe. A rápida iniciativa não evitou que duas pessoas acreditassem no pedido, e efetuassem a transferência pensando ser para a conta do próprio Elísio.

“Toda minha lista foi acionada, e duas pessoas caíram. Então, foi um problema bem chato de ser administrado e que envolveu muita gente, muita gente foi importunada por isso”, lamenta o diretor.

Outra providência imediata foi mandar um e-mail para o Whatsapp, pedindo a suspensão da conta. Foi nesse dia, que ele descobriu uma dica de segurança muito simples, capaz de evitar crimes como o que ele acabara de ser vítima: a verificação em duas etapas.

O recurso já funciona em uma série de serviços conectados para dificultar acessos indevidos e, assim, ampliar a segurança a programas e aparelhos. Para acioná-lo no Whatsapp, basta abrir o aplicativo, ir na aba Configurações, escolher o item Conta, selecionar Verificação em duas etapas, e clicar em Ativar. Uma vez ativo o recurso, o Whatsapp pedirá de tempos em tempos que insiram o código.

Desde quando lançou a verificação em duas etapas, em fevereiro de 2017, a empresa previu que os usuários poderiam ser alvo de golpes antes mesmo de ativar o recurso. Por isso, recomendou que eles ignorassem e-mails para desativá-lo, e também não clicassem em links. “Alguém pode estar tentando registrar o seu número no WhatsApp”, explicou a empresa na época.

“Os hackers costumam acionar pessoas que parecem ser amigos, conhecidos ou familiares mais próximos e se passa pela pessoa para pedir dinheiro usando uma escrita correta e poucas palavras, que sejam neutras o suficiente para não levantar suspeitas”, detalha Fabiano de Abreu, CEO da MF Press Global, agência especializada em mídias sociais.

Para ele, é muito comum que os hackers acessem a conta do mesmo modo com que aconteceu com Elísio. “Esse código é, na verdade, o autenticador de duas etapas do WhatsApp da vítima, que é a última peça necessária para o golpista clonar a conta, e impedir o acesso pelo proprietário“, explica. Como o processo acontece de forma muito rápida, antes mesmo que usuários desatentos acabam acreditando na história.

”Esse golpe já é bem velho, mas infelizmente nada é feito. Para conseguir registrar o boletim de ocorrência tive trabalho. Precisei argumentar que meu colega depositou o dinheiro porque fui clonada”, Julianna Sá, mais uma vítima dos criminosos, e que está sem acesso ao aplicativo há mais de uma semana.

“É super sério esse problema, e a plataforma ainda não criou uma forma eficiente de lidar com isso. Eu tenho o contrato com a operadora, uma conta de e-mail associada que existe há mais de 15 anos, mil coisas para comprovar que aquele acesso era meu, mas foi fraudado e roubado. Só que eles não ajudam em nada. Estou com esse número há quase 20 anos, e talvez eu tenha de pegar outra linha se quiser ter Whatsapp”, desabafa.

Como evitar que seu whatsapp seja clonado

Senhas Proteja seus dados pessoais, sem revelar senhas e número de documentos para desconhecidos
Atenção Desconfie de ligações ou mensagens inesperadas
Comunique Caso seu celular pare de funcionar repentinamente, avise a seu gerente ou contate a operadora do seu celular
Cheque Ligue para o remetente da mensagem confirmando se é ele ou envie mensagens nas outras redes sociais para confirmar que é ele mesmo

Saiba como recuperar sua conta hackeada

1º passo Caso remover o WhatsApp Web não funcione, peça a desativação de sua conta mandando e-mail para [email protected]
2º passo Copie e cole esse texto no corpo do email: “Lost/Stolen: Please deactivate my account”. Lembre-se de colocar seu número de celular — com código de país e DDD — para que identifiquem qual conta devem desativar
3º passo Após fazer a desativação, você terá 30 dias para reativar sua conta.
4º passo Restaure seu celular com os padrões de fábrica para eliminar qualquer suspeita.